senescência

Senescência é um termo que se aplica aos processos que acompanham o envelhecimento e morte de uma planta ou de uma parte dela.
Em alguns casos a senescência é rápida como é o caso das flores de algumas Cactáceas que morrem depois de passadas apenas algumas horas de se terem formado. Outros exemplos de senescência é a alteração da cor das folhas no outono em consequência do fotoperíodo. Seja qual for a sua duração, a senescência não é uma simples paragem do desenvolvimento. É um fenómeno que necessita de energia para que as alterações metabólicas ocorram. Por exemplo, a senescência das folhas começa durante a diminuição do período de luz no fim do verão e implica a mobilização de nutrientes e o consumo de proteínas. Enquanto a folha se mantém na planta, contém pouco mais que a parede celular e uma pequena reserva de nutrientes no protoplasma. A maior parte dos nutrientes formados na folha foram removidos para outras partes da planta, principalmente para as raízes, onde ficam armazenados. Estes nutrientes são utilizados na primavera quando a planta reinicia o crescimento.
A característica mais evidente da senescência das folhas é a destruição ou não substituição da clorofila. Quando a clorofila é degradada, os carotenos amarelos e alaranjados previamente produzidos, mas encobertos pela clorofila, tornam-se visíveis. A senescência das células também origina pigmentos fortemente coloridos de antocianinas. Estes pigmentos provocam uma alteração da cor das folhas por vezes espetacular. A senescência é fortemente influenciada por hormonas vegetais. Por exemplo, os frutos de plantas como a soja produzem um "fator de senescência" que é transportado para as folhas, provocando a senescência. No laboratório a senescência pode ser provocada pela aplicação de citoquinina, giberelina, ácido abcísico ou etileno.
Como referenciar: Porto Editora – senescência na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-01-16 23:09:34]. Disponível em