silfo

O nome de silfo provém da língua grega e designa um animal pertencente à classe dos coleópteros. Passou para o âmbito mitológico através das conceções cabalistas, entre outras, que em conjunto e por evolução cultural e temporal, colocaram o silfo numa esfera em que se revestiu de características feéricas, tal como as sílfides. Estas são, por exemplo, as que inspiraram o compositor Frederic Chopin no bailado "As Sílfides". As culturas em que mais presente se encontra esta conceção de espíritos pertencentes a um mundo mitológico são as que possuem raízes dos Germanos e dos Celtas, uma vez que as suas tradições são ricas neste género de seres – a obra de William Shakespeare Tempestade inclui um personagem sílfico, Ariel. Acreditava-se que viviam na sombra dos bosques, em forma de espírito, e que eram dotados de grande sabedoria. Contudo, as conceções variam de acordo com as culturas, podendo ser vistos como entes maléficos ou, pelo contrário, como seres bondosos, conotados com o ar e o vento.
Como referenciar: Porto Editora – silfo na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-01-26 08:01:42]. Disponível em