sistema métrico

Atendendo ao grande inconveniente que existia no passado pelo facto de subsistirem diferentes sistemas de medida de grandezas, mesmo em zonas geográficas próximas, a Academia de Ciências de Paris decidiu entregar aos professores Méchian e Delambre, em 1792, a tarefa de criar um sistema de medidas que pudesse ser aceite universalmente.

A unidade fundamental escolhida foi a unidade de comprimento, tendo-se medido o arco do meridiano terrestre compreendido entre Dunquerque e Barcelona e considerado a unidade fundamental como sendo a décima milionésima parte do quadrante desse meridiano. A essa unidade deu-se o nome de metro.

Foi também decidido que os múltiplos e submúltiplos de cada unidade fossem potências de dez, pelo que o sistema métrico é decimal. Por exemplo, no caso da medida de comprimento, os múltiplos do metro representam-se associando à palavra metro os prefixos deca, hecto e quilo, entre outros, que significam, respetivamente, dez, cem e mil, e os submúltiplos associando os prefixos deci, centi e mili, entre outros, que significam, respetivamente, décima, centésima e milésima parte.

Em geral, as unidades do sistema métrico seguem esta regra, no entanto, grandezas como a medida de ângulos ou do tempo não seguem o sistema decimal mas antes um sistema de base sexagesimal.

O sistema métrico tem sido regularmente revisto desde a sua criação e, em 1960, na 11.ª Conferência Geral de Pesos e Medidas que ocorreu em Paris, foi dado ao sistema o nome oficial de Système Internacional d'Unités (Sistema Internacional de Unidades). Este nome é, em todas as línguas, abreviado para SI.

Atualmente, as grandezas e respetivas unidades consideradas básicas neste sistema são o comprimento (unidade: metro), a massa (quilograma), o tempo (segundo), a corrente elétrica (ampere), a temperatura (kelvin), a intensidade luminosa (candela) e a quantidade de massa (mole).
Como referenciar: Porto Editora – sistema métrico na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-23 00:54:29]. Disponível em