Sociedade de Geografia de Lisboa

Instituição fundada em 1875 por um conjunto de intelectuais portugueses, tendo por objetivo assumido o ensino e a exploração científica na área da Geografia. Outros objetivos estiveram, no entanto, subjacentes à fundação da Sociedade. Dar um novo impulso ao movimento expansionista português e recuperar para Portugal uma situação favorável na partilha de África constituiram dois motivos ambiciosos e importantes.
O surgimento da nova entidade não motivou aplausos imediatos do Governo, que um mês depois criou a Comissão Central Permanente de Geografia, com as mesmas funções mas melhor dotada de meios financeiros e apoios oficiais. Contudo, a atividade desenvolvida pela Sociedade foi reconhecida no país e no estrangeiro. O Governo decidiu então integrar a Sociedade de Geografia na Comissão Central Permanente de Geografia. A partir desta altura, o papel da instituição relacionado com ações coloniais ganha notória importância, seja na exploração do território das colónias (levantamentos cartográficos e hidrográficos, etc.), mormente em África, seja no estudo dos costumes e línguas dos povos que aí se encontravam.
Às atividades científicas da Sociedade de Geografia de Lisboa ficaram ligados nomes distintos, como o de Luciano Cordeiro, Rodrigo Afonso Pequito, Leonardo Torres e Jaime Batalha Reis, entre outros. Contudo, após o processo de Descolonização em África, a Sociedade ficou com a sua ação muito diminuída, pois assim desapareceram as condições que o seu trabalho originalmente tivera.
Como referenciar: Sociedade de Geografia de Lisboa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-13 20:47:41]. Disponível na Internet: