Stephen Biko

Fundador do movimento anti-apartheid e símbolo do nacionalismo negro na África do Sul, nasceu em 1946, em King William's Town, e morreu em 1977, em Pretória, em consequência dos maus-tratos recebidos na prisão em que se encontrava detido.
O seu interesse pela causa dos direitos dos negros teve início quando ele próprio foi expulso do liceu. Em 1968 foi cofundador e o primeiro presidente de uma organização que representava todos os estudantes negros do país, e em 1972 fundou uma associação radical denominada Convenção do Povo Negro. A sua atividade pelo fim do sistema de segregação racial foi-se tornando cada vez mais notória. A publicação da revista Black Review conduziu à intervenção da censura oficial e à adoção, por parte do Governo sul-africano, de medidas de repressão dos movimentos anti-apartheid.
Em 1975, Biko estabeleceu um fundo de apoio para prestar auxílio aos presos políticos e às suas famílias. Nesse ano foi feito prisioneiro durante 137 dias sem ter direito a ser julgado. Em agosto de 1976 voltou a ser preso, por 101 dias, bem como em março e julho de 1977. Em agosto do mesmo ano foi encarcerado pela última vez, não sobrevivendo aos maus-tratos recebidos.
Uma vez terminado o sistema de apartheid, os agentes responsáveis pelo assassinato de Biko beneficiaram, em 1996, do perdão dado pelo novo regime àqueles que confessaram os seus crimes.
Como referenciar: Stephen Biko in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-10 05:29:55]. Disponível na Internet: