Sylvia Beach

Editora, livreira e escritora norte-americana, Sylvia Woodbridge Beach nasceu a 14 de março de 1887, em Baltimore, no estado de Maryland. O pai, um pastor presbiterano proeminente, foi destacado para presidir à Congregação Americana em Paris. Sylvia visitou-o pela primeira vez por volta de 1900, o que passou a acontecer com uma certa regularidade.
Encontrava-se em França quando deflagrou a Primeira Grande Guerra e, quando esta terminou, decidiu, a conselho de uma amiga, Adrienne Monnier, estabelecer uma livraria especializada em autores de expressão inglesa, com uma secção de biblioteca de empréstimo domiciliário. Assim nasceu a Shakespeare & Company, que se veio a tornar uma sede para todos os norte-americanos em Paris, bem como homens de letras franceses, tradutores e estudiosos. Pela sua livraria passaram nomes como Ezra Pound, Ernest Hemingway, Anaïs Nin, Gertrude Stein, Paul Valéry e André Gide.
Dando seguimento ao sucesso da sua empresa, decidiu começar a editar livros de escritores seus conhecidos. Assim, em 1922, ganhou uma certa reputação como editora ao publicar o Ulysses de James Joyce, quando a obra havia sido interdita em Inglaterra por ter sido considerada obscena.
A sua fama cresceu sobretudo quando, algum tempo depois, se encarregou de proteger a obra de Joyce, contra edições piratas. Tomando conhecimento de que estava no prelo uma versão norte-americana de Pomes Penyeach, algures em Cleveland, no estado do Ohio, e que as leis de direitos de autor europeias não abrangiam os Estados Unidos da América, entrou em contacto com o pai, na altura lecionando em Princeton, para que a tipografia dessa universidade imprimisse uma edição de pequena tiragem, assegurando assim os proventos de Joyce.
Com a deflagração da Segunda Guerra Mundial, as tropas nacional-socialistas invadiram Paris, em 1941, e encerraram a Shakespeare & Company, confiscando toda a mercadoria. Sylvia Beach conseguiu no entanto reabri-la clandestinamente num apartamento das redondezas, o que acabou por lhe valer uma estadia de seis meses num estabelecimento prisional em Vittel.
Em 1959 publicou Shakespeare and Company, uma autobiografia repleta de informações válidas para o melhor entendimento dos muitos escritores com quem se relacionou. Nesse mesmo ano visitou Princeton, que passou a guardar, após a sua morte, ocorrida a 5 de outubro de 1962, o seu valioso espólio de correspondência e anotações.
Como referenciar: Sylvia Beach in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-05-17 04:13:04]. Disponível na Internet: