TAT

Por processo TAT - Teste de Aperceção Temática, entende-se o conjunto dos mecanismos mentais implicados numa situação singular, no qual se pede ao sujeito para "imaginar" uma história a partir de 16 cartões, todos eles com imagens diferentes, onde se vê uma situação relacional.
É um teste projetivo em que cada prancha reenvia para um tema especifico.
Chama-se de Aperceção, sendo este um termo que provém da situação onde o sujeito se confronta com as imagens. A interpretação que lhes vai dar provém daquilo que ele perceciona e vê, mas também das memórias afetivas da experiência que o sujeito tem ou teve. A hipótese fundamental era que o sujeito se identificasse com a personagem central e todas as outras personagens que fiquem na prancha, imaginando-os reportados ao meio envolvente real do sujeito.
Baseado na teoria psicanalítica, todos os cartões têm um conteúdo manifesto, ou seja, aquilo que a imagem mostra, e um conteúdo simbólico, que nos reenvia para as experiências vividas pelo sujeito.
Tem como objetivo demonstrar os modos de funcionamento dos indivíduos numa situação de conflito, o que importa saber é como ele organiza histórias em situações de conflito.
Aplica-se a partir dos 9 anos e não tem idade limite. A aplicação é feita numa única sessão e a instrução dada no início. No final, são analisadas as respostas com a ajuda de uma folha de análise.
A versão original era composta por 31 cartões divididos em várias séries, uma série só para adultos, outra série só para seres masculinos e outra só para mulheres. Hoje em dia, só se empregam 16 pranchas.
O TAT divide-se em várias séries, cada uma com um padrão de comportamento e com um modo de funcionamento mental associado, tendo em conta a cotação das respostas do indivíduo. Quanto mais respostas tiver de cada série, mais se enquadra nesse tipo de funcionamento.
A = série de rigidez - Tipo neuróticos.
Privilegia fatores de rigidez, típicos de uma estrutura obsessiva como o distanciamento no tempo, a descrição excessiva de detalhes, a hesitação entre interpretações diferentes e o isolamento de elementos ou personagens. Este tipo de procedimento revela a tendência do sujeito em reprimir os seus afetos e em se referir predominantemente a conflitos interpessoais.
B = série da labilidade - Tipo neuróticos.
Reúne fatores lábeis, típicos da histeria. Alguns procedimentos que caracterizam o modo de funcionamento são a fabulação, a dramatização, a presença de afetos fortes e exagerados, assim como a predominância de relações interpessoais. Toda a série tem algo de teatral e de dramático.
C = série da inibição - Processos que traduzem evitamento do conflito - Patologia fóbica.
C/P - processo próprios das fobias em que o evitamento e a fuga predominam. Corresponde a categoria de mecanismos de negação do conflito, que podem ser do tipo fóbico, factual ou maníaco.
C/N - processos da série narcísica - Patologia narcísica.
O funcionamento narcísico é caracterizado pela substituição do amor objetal pelo amor narcísico, que implica uma retração libidinal e onde o sujeito investe em si mesmo, por o sujeito ser centrado na imagem de si e num sentimento de ameaça de morte se o outro não lhe confirme a imagem ideal.
C/M - funcionamento maníaco - patologia maníaca.
Traduz uma luta anti-depressiva, procura substituir as representações dos afetos em outros superinvestimentos.
C/C - processo relativo a condutas de ação, que podem estar ligadas a uma dificuldade de elaboração psíquica - Patologia de comportamento.
C/F - comportamento factual - processos que correspondem a uma acentuação de elementos da realidade exterior, ideias, preconceitos, etc. - Patologia de falso self.
E = série composta pela emergência dos processos primários. Podem revelar uma distorção da perceção, uma desorganização das sequências temporais, a inadequação ao tema ou falta de lógica no discurso.
Como referenciar: TAT in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-09 02:44:45]. Disponível na Internet: