Televisão Independente (TVI)

A estação de televisão privada TVI começou a operar a 20 de fevereiro de 1993, tendo sido o segundo canal privado português a ir para o ar, depois da SIC ter arrancado no ano anterior.
Quando arrancou, a TVI, que na altura era pertença da Igreja Católica, sentiu algumas dificuldades em se impor no meio audiovisual português. Na época, já a SIC ameaçava o poderio da RTP, estação estatal que durante mais de três décadas tinha detido o monopólio do setor.
Na fase inicial da sua existência, a TVI assumiu claramente um papel de televisão alternativa, dedicando períodos da sua programação a públicos distintos. A parte da manhã era dedicada às donas de casa e às pessoas mais idosas e a parte da tarde aos mais jovens. A TVI notabilizou-se ainda por apresentar na sua programação algumas séries norte-americanas de grande qualidade, entre as quais os "Ficheiros Secretos". Contratou alguns nomes de vulto da televisão portuguesa, como Manuel Luís Goucha e Artur Albarran, mas as audiências mantiveram-se sempre em níveis abaixo dos esperados e o canal entrou em profunda crise financeira. A recuperação deu-se no ano 2000, já com José Eduardo Moniz como diretor-geral e o grupo Media Capital como proprietário. Os programas de produção portuguesa, como as telenovelas, ajudaram a fazer subir as audiências de modo significativo, mas foi desde setembro de 2000, quando estreou o concurso "Big Brother", que a TVI deu o salto para a liderança. Este concurso, apresentado como "a novela da vida real", juntou doze concorrentes numa casa sem ligação ao exterior, mas como todos os seus movimentos a serem ininterruptamente seguidos pelas câmaras de televisão. O programa conquistou audiências recordes e levou o canal a ser o mais visto em Portugal. A TVI, para sustentar este sucesso, fez uma grande aposta na produção nacional, onde se destaca a telenovela "Olhos de Água", e na informação, formando uma equipa com jornalistas já conhecidos da televisão portuguesa. A nível de telenovelas explorou ao máximo a situação e em 2001 chegou a apresentar três seguidas no horário noturno. A nível de informação, para além dos apresentadores já conhecidos do grande público como Manuela Moura Guedes e Juca Magalhães, contratou comentadores de renome para os telejornais, como são os casos de Marcelo Rebelo de Sousa e Miguel Sousa Tavares.
Em fevereiro de 2001, a TVI tornou-se o primeiro canal português a aderir à televisão interativa. Numa primeira fase os programas interativos foram a telenovela "Olhos de Água", o "Jornal Nacional" e o "Batatoon".
Em outubro de 2004, continuando a aposta em "novelas da vida real", a TVI apresentou a "Quinta das Celebridades", programa com características semelhantes ao "Big Brother", que juntava personalidades do jet-set português numa quinta desprovidos do conforto a que estavam habituados - por exemplo, não tinham água quente para tomar banho. Tinham como tarefas cuidar dos animais e da horta, lavar a louça à mão, cozinhar, lavar a casa de banho que ficava fora da casa principal, entre outras. O êxito de audiências, tal como no "Big Brother", levou a uma segunda edição do programa, realizada no ano seguinte.
Como referenciar: Televisão Independente (TVI) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-17 10:03:45]. Disponível na Internet: