Tezcatlipoca

Era um deus asteca, a quem chamavam também "o Negro" e cujo nome significa "espelho que deita fumo". A razão do nome é o facto de os feiticeiros usarem espelho de obsidiana para ler o futuro e ele ser o deus da magia, o mais temido de todos devido aos seus poderes. Ele era senhor dos pontos cardeais, Norte (onde vivia), Sul, Este e Oeste, e dos deuses da Natureza.
Era um deus de face dupla, da fome e da fartura, do sol, da morte e da vida. A história do seu nascimento iniciou-se quando a Mãe dos Deuses se recolheu a uma caverna no Universo para dar à luz os planetas, quatrocentas pessoas do Norte e quatrocentas do Sul. Ficou de novo à espera de uma criança, que os que já tinham nascido decidiram matá-la, preocupados. No entanto a mãe foi protegida pela Lua dourada, sua filha. Verificou-se ao nascer que essa criança era Tezcatlipoca e vinha armado como um guerreiro, tendo destruído todas as estrelas. Viu entre os despojos o corpo da sua irmã Lua, decidindo tornar viva a sua cabeça e colocá-la no céu com campainhas douradas nas bochechas. É por isso que quando o sol nasce desaparecem as estrelas, que voltam a aparecer apenas na companhia da lua.
Foi o primeiro sol, ou a primeira criação da Humanidade destruída por Quetzalcoátl, seu inimigo.
À noite transformava-se em Yoelli-Ehecatl, ou "vento noturno" e às vezes aparecia sob a forma de um gigante com a cabeça na mão aos guerreiros para pôr à prova as suas capacidades.
Como referenciar: Tezcatlipoca in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-06 11:39:37]. Disponível na Internet: