Thomas Paine

Escritor inglês, nascido em 1737 e falecido em 1809, publicou nos Estados Unidos da América, em 1776, o panfleto Common Sense, incitando os americanos a lutarem pela independência do seu país; ajudou a criar um sentimento nacional que inspirou a elaboração de Declaration of Independence. A série intitulada The Crisis deu seguimento a esta temática. Em 1787 regressou a Inglaterra, onde em resposta à obra Reflections on the French Revolution, de E. Burke, escreveu The Rights of Man, na qual defendeu a revolução, insistindo que o Homem não deveria estar subordinado a governantes selecionados pela hereditariedade.
Acusado de traição, fugiu para Paris, onde concluiu The Age of Reason, um ataque ao Cristianismo e à Bíblia, o que aumentou o ódio com que era visto em Inglaterra, onde os seus livros e efígie eram repetidamente queimados. Regressou aos EUA em 1802, onde as suas opiniões sobre a religião e oposição a Washington o tornaram impopular. No entanto, não pode ser negada a sua influência, quer a nível político, quer a nível filosófico. Foi um defensor da igualdade entre os homens, do contrato social, tendo, contudo, moldado estes conceitos ao seu ideal humanitário. O seu sucesso decorre da simplicidade dos argumentos que apresentou e da força e paixão da sua escrita.
Como referenciar: Thomas Paine in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-15 08:21:55]. Disponível na Internet: