Timothy Hutton

Ator norte-americano, Timothy Hutton nasceu a 16 de agosto de 1960 em Malibu, Califórnia. Começou a representar no liceu e numas férias de verão fez um espetáculo teatral itinerante pelo país com o seu pai, também ator.
No começo de carreira, participou em filmes para a televisão como And Baby Makes Six (1979) ou Friendly Fire (A Bala Traiçoeira, 1979). Em 1980, teve uma estreia auspiciosa no cinema com o filme de Robert Redford Ordinary People (Gente Vulgar), interpretando o papel de Conrad Jarrett, um jovem a recuperar de uma tentativa falhada de suicídio. Esta sensível interpretação deu-lhe aos 19 anos o Óscar de Melhor Ator Secundário e o Globo de Ouro na mesma categoria, entre outros prémios. Com um início de carreira tão arrebatador, foi-lhe difícil fazer face a tão altas expectativas e não conseguiu manter-se como um nome de primeira linha do cinema. Contudo, conseguiu diversas boas prestações em papéis normalmente dominados pela inteligência e forte consciência.
Em 1981, teve uma forte prestação como um rebelde cadete de uma academia militar em Taps (O Clarim da Revolta), de Harold Becker, papel que lhe deu uma nomeação para o Globo de Ouro de Melhor Ator. Seguiram-se papéis em Daniel (1983), de Sidney Lumet; Iceman (1984), de Fred Schepisi; The Falcon and the Snowman (O Jogo do Falcão, 1985), de John Schlesinger; e Turk 182 (1985). Entretanto, em 1984, realizou o famoso videoclip dos The Cars "Drive" e estreou-se no teatro com a peça Orpheus Descending. Em 1986, casou-se com a atriz Debra Winger, com quem contracenou em Made in Heaven (Talhado no Céu, 1987), de Alan Rudolph, de quem acabaria contudo por se divorciar. Participou depois em Everybody's All-American (Morrer de Amor, 1988), de Taylor Hackford; e trabalhou de novo com Sidney Lumet em Q & A (Inquérito Escaldante, 1990). Em 1990, estreou-se na Broadway como protagonista da peça Prelude to a Kiss e depois atuou num papel duplo no filme de terror The Dark Half (A Face Oculta, 1993), de George Romero, explorando uma faceta mais negra da sua imagem.
Para além de diversos papéis na televisão, destacam-se as suas prestações cinematográficas em filmes como French Kiss (O Beijo, 1995), de Lawrence Kasdan; Beautiful Girls (Mulheres Giras, 1996); Playing God (1997); The General's Daughter (A Filha do General, 1999); Sunshine State (2002), de John Sayles; Secret Window (A Janela Secreta, 2004); e Kinsey (Relatório Kinsey, 2004).
Em 1998, estreou-se como realizador em Digging to China (A Caminho da Felicidade), com Kevin Bacon e Mary Stuart Masterson, mas sem sucesso. Em 2000, casou com Aurore Giscard d'Estaing, sobrinha do ex-presidente francês Valéry Giscard d'Estaing.
Como referenciar: Timothy Hutton in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-17 05:25:18]. Disponível na Internet: