Todd Solondz

Realizador e argumentista norte-americano, Todd Solondz nasceu a 15 de outubro de 1959, em Newark, New Jersey.
Quando criança, queria ser rabi, mas mudou de ideias para escrever argumentos. Trabalhou como estafeta para a Writers Guild e formou-se em 1981 na Universidade de Yale.
Estudou cinema e televisão na Escola de Cinema de Nova Iorque, onde se formou em 1989.
Em 1985 estreia-se como argumentista e realizador com a curta-metragem Schatt's Last Shot, onde também atua, a que se seguiu a sua primeira longa-metragem, Fear, Anxiety & Depression (1989). Uma comédia negra autobiográfica, inspirada nos filmes de Woody Allen e com argumento da sua responsabilidade, mas que foi considerada uma deceção. Nessa altura, Solondz parou de filmar durante um tempo e decidiu trabalhar como professor de Inglês para imigrantes russos.
Em 1995, realiza e escreve o argumento bastante original da comédia dramática Welcome to the Dollhouse, uma incursão nas ilusões e fantasmas da pré-adolescência de uma forma cruel e realista sobre a vida nos liceus e as relações com os pais. O filme foi aclamado pela crítica, fez sucesso junto do público e recebeu nomeações e alguns prémios em festivais de cinema, incluindo o prémio do júri do Festival de Cinema de Sundance. De seguida, realiza e assina o argumento de Happiness (Felicidade, 1998), um filme pouco convencional, provocativo e polémico sobre um grupo de pessoas de classe média e as suas vidas comuns, onde procuram a felicidade das mais estranhas e perversas formas. Solondz foi aclamado pela crítica, apesar de toda a controvérsia gerada por temas como a pedofilia, a violação e os telefonemas anónimos. O filme ganhou o prémio da crítica internacional no Festival de Cinema de Cannes e o prémio de melhor filme estrangeiro em língua inglesa dos prémios ingleses para filmes independentes.
Em 2001, realiza e escreve o argumento de Storytelling (Conta-me Histórias), um filme dividido em dois segmentos separados, intitulados "Ficção" e "Não Ficção", onde explora temas como o sexo, a exploração e o racismo, entre outros, e as angústias e frustrações das pessoas. Storytelling não teve a mesma receção e sucesso de Happiness, mas agradou à maioria dos seus fãs.
Como referenciar: Todd Solondz in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-12-01 15:59:49]. Disponível na Internet: