Tom Hanks

Ator e realizador norte-americano, Thomas J. Hanks nasceu a 9 de julho de 1956, em Concord, na Califórnia. É considerado como um dos intérpretes contemporâneos de maior talento, demonstrando toda a sua versatilidade quer em papéis cómicos quer em dramáticos. Ainda criança, assistiu ao divórcio de seus pais, tendo a sua custódia revertido para o lado paterno. Mudou-se com o pai para Oakland, onde desenvolveu a sua veia artística em peças escolares. Estudou Teatro e fez o seu estágio numa companhia amadora de Cleveland. Procurando papéis mais lucrativos, foi para Nova Iorque, onde fez teatro amador e televisão.
A sua estreia cinematográfica foi discreta, num filme de terror de baixo orçamento: He Knows You're Alone (Ele Sabe que Estás Só, 1980). Depois de participações em outras séries televisivas - entre as quais na renomeada Family Ties (Quem Sai aos Seus, 1982-89) -, foi descoberto pelo realizador Ron Howard que necessitava de um jovem ator para protagonizar a comédia Splash (A Sereia, 1984). O filme foi um êxito, catapultando a carreira de Hanks que era considerado como um portento cómico, provando-o em títulos como Bachelor Party (Solteiros e Tarados, 1984), Volunteers (Voluntários à Força, 1985) - foi durante as rodagens deste título que conheceu e se apaixonou pela atriz Rita Wilson que viria a tornar-se sua esposa -, The Man With One Red Shoe (O Espião do Sapato Vermelho, 1985), The Money Pit (Um Dia a Casa Vem Abaixo, 1986) e Dragnet (Polícias da Pesada, 1987).
Em 1988, tornou-se um nome familiar dos cinéfilos a nível internacional quando, de forma surpreendente, foi nomeado para o Óscar de Melhor Ator pela sua prestação na comédia Big onde desempenhou uma criança de 12 anos que, uma noite, acorda no corpo de um adulto e torna-se um empresário de sucesso no ramo dos brinquedos. Depois de filmes dececionantes como Bonfire of the Vaneties (A Fogueira das Vaidades, 1990), Joe Versus the Volcano (Joe Contra o Vulcão, 1990) e A League of Their Own (A Liga de Mulheres, 1992), alcançou sucesso no filme romântico Sleepless in Seattle (Sintonia de Amor, 1993), ao lado de Meg Ryan. Hanks entrara na melhor fase da sua carreira: no mesmo ano, provou todo o seu talento ao interpretar o papel de um jovem advogado homossexual, minado progressivamente pela SIDA, que é marginalizado e excluído pelos seus pares em Philadelphia (Filadélfia,1993). Venceu, por este desempenho, o Óscar de Melhor Ator e seguiu as pisadas de Spencer Tracy quando, no ano seguinte, voltou a vencer o mesmo galardão por Forrest Gump (1994), uma biografia sobre um jovem retardado mental que marca, involuntariamente, a sua presença nos momentos mais importantes da História Contemporânea dos E.U.A. Hanks veio ser nomeado para o Óscar de Melhor Ator por mais duas ocasiões: pelo seu obstinado capitão John Miller em Saving Private Ryan (O Resgate do Soldado Ryan, 1998) e pelo empresário, vítima de um acidente de aviação, que se vê obrigado a seguir as pisadas de Robinson Crusoe em Cast Away (O Náufrago, 2000). Envergou magistralmente a pele de um assassino contratado em missão de vingança em Road to Perdition (Caminho Para Perdição, 2002) de Sam Mendes; um astuto detetive em perseguição de um jovem criminoso em Catch Me If You Can (Apanha-me Se Puderes, 2002) de Steven Spielberg; um refinado mestre do crime na comédia The Ladykillers (O Quinteto da Morte, 2004) dos irmãos Joel e Ethan Coen; e um resignado e criativo emigrante do Leste no drama/comédia The Terminal (Terminal de Aeroporto, 2004), de Steven Spielberg, ao lado de Catherine Zeta-Jones.
Como referenciar: Tom Hanks in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-21 07:06:17]. Disponível na Internet: