Tratado de Brétigny

Tratado que pôs termo à primeira parte da Guerra dos Cem Anos.
João, o Bom, perdeu a Batalha de Maupertuis, próximo de Poitiers (1356), foi feito prisioneiro dos ingleses e conduzido a Londres. Durante o seu cativeiro inicia-se uma grave crise política e social em França, destacando-se as revoltas de Etienne Marcel e da Jacquerie. João, o Bom recuperou a liberdade pelo Tratado de Brétigny. Este documento consagra a vitória da Inglaterra; contudo, trata-se daquilo que se pode considerar o acordo possível perante as circunstâncias.
Por este tratado, assinado em maio de 1360, o rei de Inglaterra renuncia às suas pretensões sobre a Coroa de França, mediante o pagamento de um enorme resgate. Na sua posse continuava a Aquitânia, o Poitou, Aunis, Saintonge e a cidade de Calais, ou seja, um vasto principado continental constituído às custas do reino dos Capetos. A França guardava Anjou, Touraine, Normandia e a soberania da Bretanha.
Este tratado foi bem acolhido, em particular, por aqueles que nessa altura estavam dispostos a tudo, especialmente depois dos desastres militares de 1359 (altura em que, perante a prisão de João,o Bom, os franceses aceitaram tudo aquilo que os adversários impuseram).
Como referenciar: Tratado de Brétigny in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-22 02:02:22]. Disponível na Internet: