Tratado de Chateau-Cambrésis

Este tratado foi assinado entre 2 e 3 de abril de 1559 entre duas grandes fações europeias do século XVI. De um lado estavam os plenipotenciários do rei de França, Henrique II, e do outro, os representantes de Isabel I, a rainha da Inglaterra, e do rei Filipe II de Espanha.
Este documento trouxe a paz conseguida pelo encerramento das guerras de Itália e o domínio deste país por Espanha. Ficou também acordado que a França ficaria com a região de Calais por um período de oito anos, podendo, se assim fosse a sua vontade, restituí-la ou, pelo contrário, mantê-la mediante o pagamento de uma estipulada soma de dinheiro. A França reconheceu então Saboia como território pertencente ao Piemonte, conservando contudo deste último algumas localidades do Milanês, para além de Au Bugey e Bresse. No entanto, a França recuperou Saint-Quentin e alguns outros territórios. Metz, Tours e Verdun não estavam em questão o império não intervinha no tratado.
Com efeito, eles permaneceram em França. Alguns casamentos reais deveriam cimentar a paz: Filipe II desposaria uma segunda vez Elizabete, filha de Henrique II, e o duque de Saboia, Filipe Emanuel, casaria com D. Margarida de França, irmã de Henrique II.

Como referenciar: Tratado de Chateau-Cambrésis in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-20 03:52:24]. Disponível na Internet: