tubeira

Uma tubeira consiste numa conduta cuja secção é variável, configurando um perfil adequado para que aumente ou diminua a velocidade de um fluido ao circular por ele. Quando a secção diminui (convergente) a velocidade do fluido aumenta à sua passagem pelo estrangulamento levando a sua pressão a diminuir; no caso contrário (divergente), a velocidade diminui e a pressão aumenta.
A tubeira pode ser aberta quando depois do estrangulamento dá para o ar livre ou fechada quando assim não suceder.
As tubeiras abertas convergentes utilizam-se para projetar a grande velocidade um gás, um líquido ou um sólido finamente pulverizado, para insular combustível para uma caldeira, para pintar à pistola, para pulverizar líquidos, para injetar água sobre as pás de uma turbina de reação (tipo Pelton), etc.
As tubeiras divergentes utilizam-se quando se trata de canalizar gases com velocidades superiores às do som (tubeiras de escape dos motores de reação), em cujo caso o aumento de secção se traduz numa transformação de velocidade em pressão (impulso), e vice-versa.
As tubeiras fechadas utilizam-se nos canais Venturi, em certos tipos de bombas de vácuo, nos medidores de caudal, etc.
Como referenciar: tubeira in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-12-02 07:27:05]. Disponível na Internet: