Ugo Tognazzi

Ator italiano, Ugo Tognazzi nasceu em Cremona, a 23 de março de 1922, e morreu em Roma, a 27 de outubro de 1990, vítima de uma hemorragia cerebral.
Pai do também ator/realizador Ricky Tognazzi, começou por atuar em teatro amador, estreando-se na Sétima Arte em 1950, no filme I Cadetti di Guascogna. Nos anos 60 e 70, tornou-se uma estrela graças à sua participação em filmes de Marco Ferreri como L' Udienza (A Audiência, 1971), La Grande Bouffe (A Grande Farra, 1973) ou Touche pas à la Femme Blanche (Não Toques na Mulher Branca, 1974). Colaborou também em diversos filmes do realizador Dino Risi, como Telefoni Bianchi (Telefone Branco, 1976), I Nuovi Mostri (Os Novos Monstros, 1977), um filme dividido em segmentos, e Primo Amore (Nostalgia do Amor, 1978), entre outros. O seu nome tornou-se conhecido internacionalmente quando participou na comédia de grande sucesso La Cage aux Folles (A Gaiola das Malucas, 1978), de Edouard Molinaro, a que se seguiram duas sequelas. Dois anos depois, entrou em La Terrazza (O Terraço), de Ettore Scola, ao lado de Vittorio Gassman.
Em 1981, ganhou o Prémio para o Melhor Ator do Festival de Cinema de Cannes pela sua interpretação no drama realizado por Bernardo Bertolucci La Tragedia di un Uomo Ridicolo (A Tragédia de um Homem Ridículo).Com uma carreira composta por quase uma centena e meia de filmes, Tognazzi experimentou também a realização, em meia dúzia de filmes onde também atuou, entre os quais, Il Mantenuto (1961), que marcou a sua estreia, Cattivi Pensieri (1976) e I Viaggiatori della Sera (1979), a sua última realização.

Como referenciar: Ugo Tognazzi in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-19 08:09:30]. Disponível na Internet: