Ulrich Inderbinen

Montanhista suíço nascido a 3 de novembro de 1900, em Zermatt, uma localidade da Suíça situada no sopé do Monte Matterhorn, e falecido a 14 de junho de 2004, com 103 anos de vida, na mesma localidade.
Desde criança, ocupava o tempo a levar animais a pastar nas terras mais altas junto à aldeia. Aproveitava também para colher a famosa flor Edelweiss para vender aos turistas.
Estudou até aos 16 anos e só aos 20 saiu pela primeira vez da aldeia para fazer uma viagem de comboio à cidade mais próxima. Com 21 anos decidiu abandonar o pastoreio a passou a ser guia de montanha. Como precisava de experiência de alpinismo para participar nos treinos de guia, resolveu subir a montanha Matterhorn, com cerca de 4480 metros de altura, na companhia da irmã mais nova e de um casal de amigos. Apesar de algumas dificuldades, seguiram os trilhos deixados por outros alpinistas e conseguiram subir ao topo e descer em segurança.
Cinco anos mais tarde fez a sua primeira subida como guia profissional, levando um grupo de pessoas ao pico de Breithorn. Na descida partiu uma perna, mas sentado nos esquis conseguiu chegar em segurança à base da montanha. Durante cerca de setenta anos subiu quatro vezes por semana picos com a altura de mais de 3 900 metros.
Durante a Segunda Guerra Mundial, apesar da Suíça não ter participado no conflito, deixou de haver clientes. Assim, Inderbinen serviu nas patrulhas de esqui do exército suíço de modo a vigiar as montanhas, mesmo de noite sem recurso a nenhuma iluminação. Finda a guerra voltou a seu trabalho de guia.
Participou em competições de esqui a partir dos 82 anos e ganhou sempre, até porque era o único concorrente no seu escalão etário.
Ulrich subiu pela última vez ao Matterhorn aos 90 anos, feito que repetiu por mais de 370 vezes ao longo da sua vida. Demorou na última subida cerca de quatro horas a chegar ao topo.
Em 1990 foi designado oficialmente pelo Turismo Suíço como o guia mais antigo do mundo ainda em atividade.
Aos 92 anos quis subir ao monte Kilimanjaro, na Tanzânia, mas foi impedido pela família.
Manteve a atividade de guia até aos 97 anos e só por uma vez, em meados da década de 70, parou de trabalhar porque escorregou no gelo e magoou-se num ombro.
Entretanto, aos 96 anos, e sendo um católico convicto, cumpriu um dos sonhos da sua vida, visitar o Papa João Paulo II no Vaticano.
Como referenciar: Ulrich Inderbinen in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-12 14:00:53]. Disponível na Internet: