Um Motim há Cem Anos

Romance histórico cuja ação se desenrola em meados do século XVIII, tendo como pano de fundo a criação da Companhia dos Vinhos do Alto Douro pelo Marquês de Pombal, decisão que esteve na origem de uma revolta popular, violentamente debelada. No prefácio, onde simula o encontro com um certo antiquário, Gonçalo Antunes, que lhe fornece a ideia para a composição da obra, Arnaldo Gama deixa exposta a sua teoria do romance histórico tal qual a aplicou: "queria uma novela, um romance histórico, que toda a gente lesse, que toda a gente quisesse ler; porque enfim, meu caro amigo, estou convencido que a maneira de ensinar a história àqueles que não se aplicam aos livros, àqueles cuja profissão os arreda de poder fazer estudos sérios e seguidos, é o romanceá-la, dialogando-a, e dando vida à época, dando vida aos personagens, dando vida às localidades; mas a vida que lhes é própria, a vida da época, ressuscitando-a no estilo da conversação, nos usos e costumes, nos trajes, nas ideias e nas localidades."
Como referenciar: Um Motim há Cem Anos in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-23 22:45:03]. Disponível na Internet: