União da Europa Ocidental (UEO)

Organização internacional da qual fazem parte dez estados: Portugal (desde 1988), Bélgica, França, Alemanha, Holanda, Grécia, Itália, Espanha, Luxemburgo e Reino Unido. A sua principal função é coordenar os assuntos europeus relacionados com a defesa e com a segurança dos estados-membros. A UEO contribuiu para a criação da NATO e trabalha em cooperação com essa instituição.
A organização foi criada a 6 de maio de 1955, contando com a adesão dos países que pertenciam à CECA e integrando também a Alemanha e a Itália. A principal ideia que esteve subjacente à criação da UEO foi a de permitir o ingresso da Alemanha e da Itália (apenas uma década antes derrotadas na Segunda Guerra Mundial) numa instituição da Europa Ocidental.
A sede da UEO fica em Londres. A organização é dirigida por um conselho, constituído pelos ministros dos Negócios Estrangeiros e da Defesa dos estados-membros, e por uma assembleia, à qual pertencem vários comités permanentes. Em 1960, os comités para os assuntos sociais e culturais passaram a ficar a cargo do Conselho da Europa. A UEO perdeu então importância política para só vir a ser reativada em 1984, altura em que foi estabelecido um novo conjunto de orientações políticas gerais. Foi reconhecida a importância de um exército comum na Europa e a importância da cooperação militar regional. Apesar deste novo impluso, a UEO ainda não se conseguiu afirmar perante a comunidade internacional, nomeadamente na resolução de conflitos. Exemplo disso foi a Guerra na Jugoslávia, conflito que a intervenção diplomática da UEO se mostrou incapaz de sanar. Entre 1994 e 1999, a organização foi presidida pelo embaixador português José Cutileiro.
Como referenciar: União da Europa Ocidental (UEO) in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-13 03:04:34]. Disponível na Internet: