Vagos

Aspetos Geográficos
O concelho de Vagos, do distrito de Aveiro, localiza-se na Região Centro (NUT II), no Baixo Vouga (NUT III). É limitado a norte por Ílhavo, a este por Aveiro e Oliveira do Bairro, a sul por Mira e Cantanhede do distrito de Coimbra, a oeste pelo oceano Atlântico. Estende-se por uma área relativamente plana, com uma altitude média de 18 metros. O concelho é caracterizado por grandes matos, por extensos areais e é onde confluiu um terminal da ria de Aveiro.
O concelho abrange uma área de 164,7 km2, subdividida em 11 freguesias: Calvão, Covão do Lobo, Fonte de Angeão, Gafanha da Boa Hora, Ouca, Ponte de Vagos, Sosa, Vagos, Santo António de Vagos, Santo André de Vagos e Santa Catarina. Em 2005, o concelho apresentava 22 904 habitantes.
O natural ou habitante de Vagos denomina-se vaguense.

História e Monumentos
Na Idade Média, estas terras seriam invadidas pelas águas do oceano Atlântico que, a noroeste, fazia um pequeno golfo para navegação marítima. Durante os séculos XVI e XVII seriam exploradas as suas salinas. O concelho foi, durante alguns séculos, um senhorio da Casa das Silvas. Em 12 de agosto de 1514 foi-lhe concedido foral manuelino.
Do património arquitetónico fazem parte a Ermida de Nossa Senhora de Vagos; os Paços do Concelho, que corresponde à antiga Casa do Visconde de Valdemoura; a igreja matriz e os Moinhos de S. Romão.

Tradições, Lendas e Curiosidades
No concelho destacam-se várias festas e romarias, como as festas do Espírito Santo, no domingo de Pentecostes; o Festival do Moliceiro, a 30 de agosto; a Romaria da Sra. de Vagos, na segunda-feira a seguir ao domingo de Espírito Santo; a de S. João em Fontão, nos dias 23 e 24 de junho; o Sto. Inácio de Boco, nos dias 2 e 3 de fevereiro; a festa de Sto. André, realizada a 15 de agosto; a festa de Corpo de Deus, em junho; e as festas de Sto. António e de S. Tomé, realizadas a 31 de julho.
O feriado municipal é na segunda-feira a seguir ao domingo de Pentecostes.
Facto curioso são lendas sobre a N. Sra. de Vagos, nomeadamente a de que ao passar um navio francês por este local, com uma imagem da Virgem, veio uma tempestade que destruiu o navio. Entretanto o capitão conseguiu salvar a imagem e escondeu-a numa mata, na vila da Esgueira, para que não fosse roubada. Posteriormente, ninguém conseguiu encontrar a imagem, aparecendo esta em sonhos a D. Sancho, que então mandou construir uma capela no local onde estaria a imagem.

Economia
A agricultura tem um peso muito importante dada a fertilidade das suas terras, predominando as explorações de batata, arroz e hortaliças. As pastagens são de boa qualidade para o gado leiteiro, permitindo que a criação de gado seja outra das atividades importantes.
A indústria tem algum peso, a par do setor terciário promovido pelo turismo em campo, como o parque das Merendas e as praias, como a da Vagueira.
Como referenciar: Vagos in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-26 21:13:24]. Disponível na Internet: