Valeriano

Imperador Romano (c.190-260) reinou entre 253 e 260, no período da "anarquia militar". As suas preocupações incidiram sobretudo no problema persa na fronteira oriental do Império, onde viria mesmo a morrer.
Públio Licínio Valeriano nasceu por volta de do ano de 190. Do início da sua carreira quase nada se sabe, mas terá sido provavelmente consul suffectus ainda antes de 238. Em 253 assume o comando militar de uma importante região militar romana na Récia (aproximadamente, o Tirol), chegando a ser mesmo proclamado imperador pelas suas tropas. Ainda naquele ano turbulento e politicamente confuso, desceu com as suas legiões até Roma, onde tomou o poder imperial de Emílio Emiliano.
Logo de imediato nomeou seu filho Galieno também como imperador conjunto e seu comandante em chefe. Outra das suas marcas na história imperial romana foi a perseguição aos Cristãos, que desencadeou ainda nos primeiros dias de reinado. Mas a sua atenção maior era a fronteira oriental, para onde canalizou as suas energias e preocupações. O seu esforço de conter as arremetidas conquistadoras de Shapur I foi notório, mas não conseguiu evitar a queda de Antioquia e Dura em 256 às mãos dos Persas Sassânidas. Quatro anos depois, ainda concentrado nos problemas persas da fronteira oriental, acaba por ser capturado por estes, sendo também submetido a penosas humilhações pessoais. Shapur, quando ia a andar a cavalo, por exemplo, servia-se dele como criado. Nesse mesmo ano, acabou por condenar Valeriano à morte. Morto, ao seu cadáver foi arrancada a pele, depois exibida como advertência aos embaixadores romanos que procuraram negociar a paz com os Persas.
Como referenciar: Valeriano in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-21 19:29:20]. Disponível na Internet: