Vanuatu

Geografia

País da Oceânia, composto por 13 ilhas maiores e por 60 pequenas ilhas e ilhéus no sudoeste do Pacífico. Situa-se a 600 km a leste da Nova Caledónia, a 800 km a oeste das ilhas Fiji e a 1750 km a leste da Austrália. Abrange uma área de 12 200 km2.
As cidades mais importantes são a capital Port-Vila, com 53 000 habitantes (2014), Luganville e Norsup.

As ilhas de Tanna, Ambrym e Lopevi têm vulcões em atividade e sofrem frequentes abalos sísmicos.


Clima

O clima é tropical húmido.


Economia

A agricultura de subsistência é a base da economia. A extração de manganésio em Éfaté findou em 1978 pelo que as principais exportações do país são a copra, o óleo de coco, a carne de vaca e o peixe.

Os principais parceiros comerciais de Vanuatu são a Austrália, o Japão, a Nova Zelândia e a França.


População

A população é de 277 600 habitantes (julho 2016) e as taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 24,5%o e 4,1%o. A esperança média de vida é de 73.4 anos.

Os indígenas das ilhas são melanésios, mas existem também europeus, chineses, vietnamitas e povos de outras ilhas do Pacífico. São faladas mais de cem línguas e dialetos, embora as línguas oficiais sejam o francês, o inglês e o bislamá ou neomelanésio.

Os naturais de Vanuatu foram convertidos ao cristianismo, representando os presbiterianos 28%, os católicos 12.4%, os anglicanos 15.1% e os adventistas 12.5% (2009).


História

O arquipélago foi descoberto pela primeira vez pelo navegador português Pedro Fernández de Queirós em 1606, seguindo-se-lhe o navegador francês Louis-Antoine e mais tarde o capitão James Cook que, em 1772, deu a este conjunto de ilhas povoadas de melanésios o nome de Novas Hébridas.

Mantiveram-se durante bastante tempo sem uma tutela colonial precisa. Em 1906, a França e a Grã-Bretanha assinaram um protocolo de instituição de um condomínio. Este sistema de administração conjunta concedeu ao arquipélago a sua primeira unidade política.

Franceses e ingleses viriam a discordar em muitos pontos, criando uma administração marcada pela ineficácia. Vanuatu esteve sob a dominação franco-britânica durante cem anos, após o que, em 1980, conquistou a independência.

Durante a Segunda Guerra Mundial, transformou-se numa base aliada; nesta altura as tropas americanas inspiraram os políticos locais a criar um movimento antieuropeu. A conquista da soberania em 1980 ocorreu após uma grave crise com a minoria francófona a opor-se à minoria anglófona. O conflito foi ultrapassado graças ao envio de um contingente militar da Papua, sustentado pela Austrália, que levou à consagração da liderança do padre anglicano Walter Lini que mais tarde seria o primeiro-ministro de Vanuatu.

Os acordos para a independência foram conseguidos na Conferência de Paris, em 1977, onde participaram representantes de França, Grã-Bretanha e Novas Hébridas. A Constituição entrou em vigor em 1979.

As Novas Hébridas passaram a designar-se República de Vanuatu, que aderiu à Commonwealth.

Como referenciar: Vanuatu in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-08 11:20:44]. Disponível na Internet: