Vila Nova de Gaia

Aspetos Geográficos
O concelho de Vila Nova de Gaia, do distrito do Porto, localiza-se na Região Norte (NUT II), no Grande Porto (NUT III) e fica situado na margem esquerda do rio Douro, em frente à cidade do Porto. Integra a Área Metropolitana do Porto. Possui uma extensa marginal fluvial e uma faixa litoral que se estende até ao concelho de Espinho.
Confronta-se com os concelhos do Porto, na margem norte do rio Douro, ao qual está ligada por cinco pontes, e com Gondomar, fazendo ainda fronteira com Santa Maria da Feira e Espinho (distrito de Aveiro) a sul e Gondomar a oriente.
Tem apresentado um intenso crescimento urbano, que cada vez mais se alarga às freguesias mais periféricas do concelho, coabitando em espaços muito próximos modernas unidades industriais e superfícies comerciais com antigas quintas rurais, que ainda preservam alguns dos traços rurais do concelho.
Com uma área de 168,7 km2, compreende 24 freguesias: Arcozelo, Avintes, Canelas, Canidelo, Crestuma, Grijó, Gulpilhares, Lever, Madalena, Mafamude, Olival, Oliveira do Douro, Pedroso, Perosinho, Sandim, Santa Marinha, São Félix da Marinha, São Pedro da Afurada, Seixezelo, Sermonde, Serzedo, Valadares, Vilar de Andorinho e Vilar do Paraíso.
Em 2005, o concelho apresentava 297 296 habitantes.
O natural ou habitante de Vila Nova de Gaia denomina-se gaiense ou vila-novense.

História e Monumentos
O povoamento do concelho data das épocas mais remotas do período neolítico. O foral de D. Afonso II, em 1255, dá origem à Vila de Gaia e o foral de D. Dinis, de 1288, cria a Vila Nova de Rei. Coexistem dois concelhos vizinhos mas distintos, o de Gaia e o de Vila Nova.
O concelho de Vila Nova de Gaia teve origem no foral de D. Fernando em 1367, sendo integrado na jurisdição do Porto.
Mais tarde, os ingleses instalaram-se no concelho, construindo os armazéns para a exportação do vinho que correspondem às atuais caves do vinho do Porto.
No início do século XIX, Vila Nova de Gaia, mais precisamente o mosteiro da Serra do Pilar, é palco das lutas das Invasões Francesas e das lutas liberais.
Em 1984, Vila Nova de Gaia foi elevada a cidade.
Do vasto património do concelho destacam-se monumentos como a Igreja e o Convento da Serra do Pilar, a Igreja de Santa Marinha, de raiz quinhentista, o Mosteiro de Grijó, o Convento Dominicano de Corpus Christi, o solar dos Condes de Resende, solar dos Condes de Campo Belo e o aqueduto da Serra do Pilar.
Tradições, Lendas e Curiosidades
Realizam-se várias feiras nas diferentes freguesias do concelho: aos sábados, feira em Arcozelo, Avintes e Carvalhos. Em Pedroso é às quartas-feiras.
No domingo imediato ao dia de Santana tem lugar a romaria de Santana, em Oliveira do Douro. Em Gulpilhares, tem lugar a romaria de S. Brás, no dia da Purificação de Nossa Senhora e Senhor da Pedra, no domingo a seguir ao do Espírito Santo. Em Pedroso, realiza-se a romaria de Nossa Senhora da Saúde, a 15 de agosto, e S. Bento, no domingo imediato ao da transladação de S. Bento. Em Arcozelo, tem lugar a festa de Nossa Senhora dos Remédios, no Parque de Maria Adelaide. Por fim, na freguesia de Santa Marinha, realiza-se a festa de Nossa Senhora da Serra do Pilar, a 15 de agosto e S. Gonçalo, no primeiro domingo de janeiro.
O feriado municipal é o dia de S. João, a 24 de junho. A festa de S. João é de carácter popular. Por tradição, de véspera ao jantar comem-se sardinhas assadas na brasa, lançam-se no ar os balões de S. João, cheiram-se os manjericos com as quadras populares e contempla-se o fogo de artifício sobre o rio Douro à meia-noite. A festa prolonga-se pela noite dentro.
As gentes de Vila Nova de Gaia são conhecidas pelo seu espírito associativo, existindo nas várias freguesias inúmeras coletividades e associações de carácter desportivo, cultural ou recreativo.
O concelho é terra de artistas plásticos, evidenciando-se nomes como Soares dos Reis e Teixeira Lopes.
É também berço de pescadores, como é o caso dos pescadores da Afurada, conhecida como uma típica localidade piscatória da freguesia de S. Pedro da Afurada, onde os seus habitantes apresentam uma pronúncia própria e se habituaram, desde há muito, a ver as mulheres vestidas de negro. É aqui que se realiza a romaria de S. Pedro da Afurada que, além da festa popular com o espetáculo de fogo de artifício, encerra uma forte componente religiosa que tem o seu auge na procissão em homenagem a S. Pedro.
Algumas das danças tradicionais do concelho são: o malhão, a tirana, o vira de cruz, o vira de meia volta, a pastorinha, a rabela, bonita-ó-linda e a rusga.
Do artesanato fazem parte a olaria, os brinquedos de madeira, a cerâmica, a cestaria, a talha e trabalhos feitos com conchas e búzios.
Economia
O vinho do Porto é um dos ex-líbris de Vila Nova de Gaia, sendo tratado e armazenado nas caves que se situam no centro histórico do concelho. A cerâmica artística é uma das vertentes da sua indústria que se estende por diversos ramos, desde a metalurgia, serralharia, têxtil e confeções, tintas, mobiliário, materiais elétricos, plásticos, entre outras. A extração de granitos e serração de madeiras e a construção civil fazem também parte das atividades económicas do concelho. O comércio, associado à implantação de grandes superfícies, desde hipermercados a centros comerciais, é um dos setores que têm conhecido maior expansão, atraindo inúmeros visitantes de concelhos vizinhos. Vila Nova de Gaia é cada vez menos uma "cidade dormitório", ou "satélite" do Porto, como é muitas vezes referida, criando gradualmente a sua própria dinâmica de crescimento, nomeadamente através do aumento do número de postos de trabalho.
Como referenciar: Vila Nova de Gaia in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-11-27 11:32:14]. Disponível na Internet: