Vinte Mil Léguas Submarinas

Romance de Júlio Verne, cujo título original é Vingt Mille Lieues Sous les Mers, publicado em 1869.
Trata-se de uma história de ficção científica sobre um aterrador monstro marinho. Com o objetivo de encontrar o animal, organiza-se uma expedição marítima na fragata americana Abraham Lincoln, na qual seguia o capitão Faragutt, o arpoador canadiano Ned Land, o professor francês Pierre Aronnax e o seu ajudante Conseil. As personagens passam vários meses a bordo, sem obter qualquer sucesso, até que Ned Land avista algo que se movimenta rapidamente. Com um arpão, tentam atingir o que julgam ser o monstro. Nesta tentativa de captura, surge uma onda gigante que arrasta Aronnax, Conseil e Ned Land para o mar. Conseguem agarrar-se às costas do presumível animal, reconhecendo depois que se tratava do submarino Nautilus, onde são acolhidos. A bordo do navio, os náufragos são feitos reféns pelo capitão Nemo, durante oito meses. Este, reconhecendo a sabedoria do francês Aronnax, mostra aos prisioneiros os tesouros da sua biblioteca e o museu do submarino e decide empreender uma viagem ao mundo subaquático. Descobrem então a desaparecida cidade de Atlântida e respetivos tesouros, viajam sob o canal de Suez, medem a imensidão do Pacífico, lutam contra canibais e polvos gigantes, navegam debaixo da banquisa, no Polo Sul, e assistem à morte de corais.
Ao longo da prolongada viagem, os reféns mantêm sempre desconfiança em relação às intenções do capitão. Um dia, Nemo afunda, com a respetiva tripulação, um navio de guerra de nacionalidade desconhecida, o que faz aumentar o medo a bordo do Nautilus. Os três cativos, por fim, conseguem fugir numa pequena embarcação e chegam a uma das ilhas de Lofoten. Posteriormente, regressam a França.
O livro serviu de inspiração ao oceanógrafo Jacques-Yves Cousteau para a sua exploração dos oceanos. Foi ainda adaptado para desenhos animados e versões cinematográficas, tais como as de Stuart Paton (1916) e Richard Fleischer (1954).
Como referenciar: Vinte Mil Léguas Submarinas in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-12 16:38:07]. Disponível na Internet: