Vítor Figueiredo

Arquiteto português, Vítor Manuel Almeida Figueiredo nasceu a 17 de fevereiro de 1929, na Figueira da Foz. Formado pela ESBAP - Escola Superior de Belas-Artes do Porto, com 19 valores, em 1960, inicia uma atividade marcada pelas numerosas obras de habitação social que realizou, na área de Lisboa, em Olivais Sul (1960), Benavente (1962) e Santo Estêvão (1963), onde se estabeleceu.
Embora o purismo geométrico dos volumes por si criados (e o uso de materiais correntes) remetam para influências trazidas da arquitetura moderna do século XX, a sua obra é fundamentalmente marcada por uma síntese entre as diversas influências da totalidade do legado arquitetónico: é disso exemplo a repetição modulada de aberturas a que recorre (independentemente do programa que define a obra) que remete para influências classicizantes no definir do edifício, o que, contudo, não é assumido como limitativo, dado que é notória igualmente uma grande sensibilidade no uso que faz de elementos específicos de uma arquitetura própria do lugar onde a sua obra se implanta.
Esta tendência, distante das correntes atuais da arquitetura (mais ligadas a um abstracionismo formal e descontextualizado), esteve portanto na base das suas obras mais emblemáticas, realizadas recentemente, como, por exemplo, o Polo da Mitra, em Évora, 1990-1996, e a Escola Superior de Artes Decorativas de Caldas da Rainha, 1993-1997. Foi galardoado com o Prémio da Associação Portuguesa de Críticos de Arte (1986), com o Prémio dos Programas Habitacionais de Setúbal (1989) e com o Prémio Secil (1998).
Para além da sua atividade como arquiteto, foi professor na Universidade de Coimbra e na Universidade Autónoma de Lisboa.
Faleceu a 30 de janeiro de 2004.
Como referenciar: Vítor Figueiredo in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-19 10:05:27]. Disponível na Internet: