William Manchester

Historiador e biógrafo norte-americano nascido a 1 de abril de 1922, em Springfield, no estado do Massachussets, filho de um soldado que combateu na Primeira Guerra Mundial, e falecido a 1 de junho de 2004, em Middleton, no estado de Connecticut.
William cresceu em Attleboro, no mesmo estado onde nasceu. Após a morte do pai, mas, principalmente, depois do ataque japonês à base norte-americana em Pearl Harbor, durante a Segunda Guerra Mundial, alistou-se na Marinha. No entanto, foi enviado de novo para a escola à espera que mais tarde o chamassem. Apesar de preferir combater na Europa, William acabou por ser deslocado para o Pacífico, tendo servido em Guadalcanal, onde foi ferido, após os americanos terem derrotado os japoneses. Ainda assim, acabou por participar na Batalha de Okinawa, a última da Guerra do Pacífico. Recebeu várias condecorações por bravura e coragem.
Após a guerra, Manchester prosseguiu os estudos até 1947, quando se licenciou, na Universidade de Massachussets e, posteriormente, na Universidade de Missouri. Entretanto, em 1945 já havia iniciado a sua atividade como jornalista no Daily Oklahoman e no Baltimore Sea.
Editou o seu primeiro livro em 1951, uma biografia de H. L. Mencken, com quem tinha trabalhado no Baltimore Sun., seguindo-se um romance dois anos mais tarde.
Quatro anos depois, deixou o jornalismo e tornou-se professor adjunto de História e escritor residente na Universidade Wesleyan, onde passou o resto da sua vida profissional.
Logo no ano seguinte publicou Shadow of the Monsoon seguindo-se, em 1959, A Rockfeller Family Portrait. William Manchester, que tinha conhecido John Fitzgerald Kennedy durante a Segunda Guerra Mundial, lançou em 1962 Portrait of a President.
Em 1964, a viúva de John F. Kennedy, Jacqueline Kennedy, encomendou a Manchester uma obra sobre o assassinato do marido, mas não gostou do primeiro rascunho e conseguiu que ele introduzisse algumas alterações. Mesmo assim, não ficou satisfeita com a versão final e tentou impedir que ela fosse publicada, tendo para tal oferecido dinheiro à editora. Contudo, a obra The Death of a President viria a ser publicada em 1967 e vendeu cerca de um milhões e 600 mil exemplares.
No ano seguinte lançou uma obra sobre dos fabricantes de armas alemães que, segundo Manchester, tiveram ligações com Hitler, mas escaparam a uma condenação pesada.
A sua experiência na Guerra do Pacífico serviu de base ao livro Goodbye Darkness: A Memoir of The Pacific War, lançado em 1980.
Entre outras obras, William Manchester foi o autor de biografias de Douglas MacArthur (1978), Winston Churchill (1983) e do navegador português Fernão de Magalhães (1994).
Após a morte da mulher, em 1998, e devido a problemas no coração, William Manchester anunciou que abandonava a escrita, deixando por escrever o terceiro e último volume da biografia de Churchill.
Como referenciar: William Manchester in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-19 17:17:50]. Disponível na Internet: