Artigos de apoio

Xana

Artista plástico, Alexandre Nuno Serrão Fialho Alves Barata nasceu em 1959, em Lisboa. Formou-se pela Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa em 1984. No ano anterior tinha formado com um grupo de alunos dessa instituição (Manuel João Vieira, Pedro Proença, Pedro Portugal, a que se juntou Fernando Brito, em 1986), o grupo Homeostética (entre 1983 e 1986). Mas, em 1984, Xana partiu para o Algarve fixando-se em Lagos. Na segunda metade da década de 1980 desenvolveu uma atividade artística objectualista, que situa o desenho e a cor na tridimensionalidade. Estes objetos coloridos apresentam-se como gigantescos brinquedos, sem qualquer função utilitária. São objetos estáticos, arquitetados como meras junções de volumes elementares. As superfícies, planas ou curvas, assumem variadamente a picturalidade, em escalas de grandeza diversa. As cores vivas aparecem em formas semirregulares. A espiral é uma linha frequente, com o seu poder de organização dinâmica, extensão infinita, virtual centro hipnotizante. Deste modo, Xana apropria-se dos efeitos de transparência que nos anos 1980 surgiram com força ótica tanto nas texturas da bad painting figurativa como da pattern painting abstrata. O movimento do corpo do observador facilita o encontro instintivo dos jogos cromáticos que, em planos destacados ou em superfícies contínuas, qualificam o espaço real.
As instalações de Xana fazem-se, frequentemente, a partir de objetos de plástico disponíveis no mercado: alguidares, pratos, taças, são escolhidos pelas suas cores garridas e dispostos segundo uma estratégia de serialização e acumulação a que o humor e a ironia não são alheios, e que se impõem pelo impacte visual. Objetos que são também pinturas, pinturas que são esculturas, a obra de Xana define-se pela cor e pelo carácter lúdico e despreocupado.
Como referenciar: Xana in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-07-22 17:45:51]. Disponível na Internet: