Xutos & Pontapés

O grupo Xutos & Pontapés formou-se em 1979 e, para além de Tim, Zé Pedro, João Cabeleira e Kalú, fizeram ainda parte da banda Zé Leonel (vocalista e um dos seus fundadores) Francis (guitarrista) e Gui (saxofonista).
Conotado com a atitude punk, o grupo editou o primeiro single, Sémen/Quero Mais, em 1981, ao qual se seguiu Toca E Foge/Papá Deixa Lá, em 1982. Ambos os singles foram editados pela editora independente Rotação.
O primeiro álbum do grupo, 78-82, confirmou um estilo arrojado, tanto a nível de sonoridade, como de textos. São deste período alguns dos temas de culto da banda: Morte Lenta, Avé Maria e Mãe. A crescente polémica em torno da postura provocatória do grupo era proporcional ao aumento do seu número de seguidores, graças, em boa medida, às suas atuações ao vivo. Em 1983, o guitarrista Francis deixou o grupo, que ficou momentaneamente reduzido a um trio, até à entrada de João Cabeleira em novembro do mesmo ano.
Em 1984, surgiu o terceiro single, Remar, Remar/Longa Se Torna A Espera, uma edição da Fundação Atlântica. Nesse mesmo ano, entrou para o grupo o saxofonista Gui.
Dois temas, "1º de Agosto" e "Esquadrão Da Morte", fizeram parte da coletânea Ao Vivo No Rock Rendez Vous Em 1984, álbum que reuniu algumas das bandas de música alternativa da época.
Editado pela editora independente Dança do Som, surgiu, em 1985, o segundo álbum do grupo, o muito aclamado Cerco, que incluiu êxitos como "Barcos Gregos", "Homem Do Leme" e "Conta-me Histórias", entre outros.
O ano de 1987 marcou a massificação do sucesso do grupo, com a edição de Circo de Feras, pela multinacional Polygram. Para além do tema-título, este trabalho reuniu êxitos como "Contentores", "N' América", "Não Sou O Único" e "Sai P'rá Rua".
Precedido da edição do 7º Single (que incluía o clássico "A Minha Casinha"), o álbum 88 marcou o final da década de 80 no que diz respeito a álbuns de originais. Temas como "À Minha Maneira", "Para Ti Maria" e "Prisão Em Si" constituíram alguns dos melhores momentos do álbum que deu origem à mais ambiciosa digressão jamais feita por um grupo português, com 60 concertos realizados em quatro meses. Como resultado, foi editado o triplo álbum Xutos Ao Vivo em 1988. Em 1989, foi ainda editado o single Se Me Amas/Submissão.
Os anos 90 abriram com o single Tu Aí (tema cantado por Kalú), contribuição do grupo para a banda sonora da peça de teatro Inimigos. Seguiu-se o álbum Gritos Mudos (1990), naquela que constituiu a última participação do saxofonista Gui enquanto membro efetivo da banda. O grupo gravou ainda os álbuns de originais Dizer Não De Vez (1992), Direito Ao Deserto (1993) e Dados Viciados (1997), cujos temas mais representativos foram "Gritos Mudos", "Pêndulo", "Chuva Dissolvente", "O Que Foi Não Volta A Ser", "Jogo Do Empurra", "Tonto", "Dá Um Mergulho No Mar" e "Manhã Submersa".
O registo acústico Xutos & Pontapés Ao Vivo Na Antena 3, gravado em 1995, constituiu uma experiência inovadora na história do grupo, sempre capaz de cativar novos públicos e de surpreender os seguidores de longa data.
Em 1998, tiveram a seu cargo a banda sonora do filme Tentação, de Joaquim Leitão, que incluiu a balada "Para Sempre". No mesmo ano, foi editada a compilação Vida Malvada - O Melhor Dos Xutos & Pontapés, 1986-1996.
O ano de 1999 foi pródigo em eventos alusivos ao 20º aniversário do grupo: antecedido da edição da fotobiografia do grupo, Xutos & Pontapés, XX Anos, saiu o álbum tributo XX Anos, XX Bandas. No dia 20 de março, os Xutos & Pontapés realizaram o concerto de comemoração do seu vigésimo aniversário no Pavilhão Atlântico, em Lisboa, para uma assistência de 17.000 pessoas. Além do produtor Ronnie Champagne na terceira guitarra, o concerto contou com as participações especiais de Gui no saxofone e dos Corvos, quarteto de cordas que editou o álbum Visitam Xutos (1999). No mesmo ano, o grupo foi nomeado na categoria de Banda do Ano na entrega dos Globos de Ouro, realizada pela estação de televisão SIC.
Em 2000, os Xutos editaram um título especialmente dedicado aos fãs incondicionais, registando momentos da atuação ao vivo no festival Rock Rendez-Vous, a 1 de agosto de 1986. O disco recebeu o título 1.º de Agosto no RRV.
No ano seguinte, novo registo de originais. Denominado XIII e contando com alguns convidados (Mário Laginha, Mário Barreiros, entre outros), o disco continha o single "Fim Do Mês" e o tema principal da banda sonora do filme Inferno, de Joaquim Leitão.
No ano seguinte, outro disco ao vivo. Sei Onde Tu Estás! foi gravado na Festa do Avante, na receção ao caloiro de Coimbra e no Lx Musicfest, em Lisboa.
Em 2004, por altura da comemoração dos 25 anos de carreira dos Xutos, foi lançado o 17.º disco da banda. O Mundo Ao Contrário, apresentado pelo single "Ai Se Ele Cai" chegou às lojas uns dias antes da atuação do grupo no festival Rock In Rio - Lisboa.
Como referenciar: Xutos & Pontapés in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-20 04:32:49]. Disponível na Internet: