Yannick Noah

Tenista francês de origem africana, Yannick Noah foi um dos melhores jogadores negros da história do ténis, contribuindo para o aumento da popularidade deste desporto entre a comunidade negra. Nasceu em 1960 em Sedan, nos Camarões, antiga colónia francesa. Aos 10 anos foi "descoberto" pelo norte-americano Artur Ashe, o melhor tenista negro de sempre, que, numa digressão por África, reparou nas qualidades do pequeno Yannick.
Noah foi viver para França e entrou para uma escola de ténis em Paris. Em 1978, com 18 anos, tornou-se profissional e quatro anos mais tarde já estava entre os dez melhores jogadores mundiais. Em 1983, ganhou o Open de França, o mítico Roland Garros, onde derrotou na final o sueco Mats Wilander, alcançando o maior título da sua carreira e tornando-se um ídolo para os franceses. Manteve-se no top ten do ranking mundial até 1988, chegando a número 3 do mundo em 1986.
Já retirado da atividade, foi nomeado "capitão" (treinador) da equipa francesa na Taça Davis (a maior competição por países) em 1991 e liderou a França até ao título mundial, o que não acontecia desde 1932.
Famoso pela sua excentricidade, Noah manteve uma intensa atividade fora dos courts. Profundo admirador do cantor jamaicano Bob Marley, gravou dois álbuns musicais e atua regularmente em clubes de Paris. Dedicou-se também a ações humanitárias e fundou a Enfants de la Terre, uma instituição de apoio a crianças desfavorecidas.
Noah mantém uma presença assídua no circuito mundial de veteranos. Em 2004, o tenista francês disputa no Algarve o Vale do Lobo Grand Champions, prova do circuito mundial de veteranos que conta com nomes como Jim Courier, Michael Stich e Henri Leconte.
Como referenciar: Porto Editora – Yannick Noah na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-23 10:22:13]. Disponível em