Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Ateneu Comercial de Lisboa

Instituição fundada em 1880, tendo sido inaugurada a 10 de junho em homenagem ao centenário de Camões. A proposta de fundação foi feita por José Maria de Lima e Nunes numa reunião realizada na Associação de Socorros Mútuos dos Empregados do Comércio e Indústrias, em maio desse ano, ficando desde logo definida uma comissão executiva. A primeira sede situava-se na Rua do Arco do Bandeira, no n.º 79, onde se realizou a sessão de inauguração. Começou logo de início com 600 sócios, que pagavam 200 réis por mês, tendo à sua disposição uma pequena biblioteca. Devido a quezílias políticas em que se envolveu o Ateneu, o número de sócios começou a baixar, tendo a sede mudado diversas vezes de lugar. Em 1895, devido ao grande número de aulas administradas, o Ateneu instalou-se no palácio do conde de Burnay, na Rua de Santo Antão, no n.º 140, onde ainda hoje se encontra. Aí desenvolveu uma intensa atividade no campo dos cursos profissionais e desportivos (dança, canto, esgrima, etc.), realizou festas e engrandeceu a biblioteca, editando as suas próprias publicações. Interferiu também na defesa dos interesses dos seus associados (descanso semanal, proteção no desemprego e na doença, criação da Bolsa de Trabalho). A qualidade dos seus cursos levou a que, em 1933, os diplomas passados por esta instituição tivessem o mesmo valor que os das escolas oficiais. Pelos serviços que prestava à comunidade tinha já sido considerada instituição de utilidade pública em 1926.
Ateneu Comercial de Lisboa foi fundada em 1880
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Ateneu Comercial de Lisboa na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-03 08:56:26]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais