Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Otelo Saraiva de Carvalho

Militar e líder político português, Otelo Nuno Romão Saraiva de Carvalho nasceu em 1936, em Lourenço Marques (atual Maputo, Moçambique), e morreu a 25 de julho de 2021, em Lisboa.

Membro do chamado Movimento dos Capitães, foi considerado o estratega do movimento que derrubou o regime de Marcello Caetano, em 25 de abril de 1974. Nos meses seguintes, passou de capitão a general graduado, e foi nomeado comandante da Região Militar de Lisboa. Após a revolução dos cravos, foi nomeado comandante do Comando Operacional do Continente, o COPCON, e integrou o Conselho da Revolução em março de 1975, assumindo o poder de facto a partir de julho do mesmo ano.

Otelo Saraiva de Carvalho, o estratego militar do 25 de abril
A 25 de novembro de 1975, deu-se um novo golpe militar no país, que poria termo ao processo revolucionário iniciado com o derrube da ditadura. Otelo foi alvo de acusações políticas de vária ordem, nomeadamente de ter pactuado com os setores revolucionários, facto que determinou o seu regresso à patente que antes tinha e o seu afastamento da área do poder.

Foi candidato à Presidência da República em 1976 e 1980 pela extrema-esquerda, tendo, da primeira destas duas tentativas, somado uma percentagem relativamente significativa de votos.

Líder do partido Frente de Unidade Popular, depois, e envolvido, num grau e numa qualidade que a Justiça se encarregou de averiguar, na organização terrorista Forças Populares 25 de abril (mais conhecidas como FP-25), foi submetido a um longo e complexo processo judicial. Em 1985 foi preso e, depois de apresentar recurso da sentença de condenação, foi libertado após cinco anos, ficando a aguardar julgamento em liberdade. Porém, a Assembleia da República aprovou uma amnistia para os elementos presos das Forças Populares 25 de abril, em 1996.

Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Otelo Saraiva de Carvalho na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-05 02:59:29]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais