Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Primaveras Românticas

Volume que reúne a produção poética da juventude de Antero de Quental - daí o nome completo da obra ser primaveras Românticas. Versos dos Vinte Anos -, incluindo o poema Beatrice, publicado em Coimbra em 1863, e algumas poesias dispersas pela imprensa. Anteriores às influências de Proudhon e de Hegel, que nortearam a poesia social e revolucionária posta em prática nas Odes Modernas e teorizada na "Nota (sobre a missão revolucionária da poesia)" e nos opúsculos Bom Senso e Bom Gosto e A Dignidade das Letras e as Literaturas Oficiais (todos de 1865), as composições elegem como tema preferencial o Amor, nos seus múltiplos cambiantes ("Amor no mar"), muitas vezes relacionado com Deus ("Beatrice", "A uns quinze anos") e a Natureza ("Idílio sonhado"). Talvez por isso Antero questione, no curto prefácio, o "merecimento moral" destes versos (a que viria a chamar, na "Carta autobiográfica dirigida ao Professor Wilhelm Storck", de 1887, "du Heine de deuxième qualité"), atribuindo-os à "inocência" e à "fantasiadora ignorância juvenil", a "um sopro romântico, cálido mas balsâmico", que fez "rebentar tumultuariamente as nossas primaveras em borbotões de flores". Algumas composições dão voz às inquietações metafísicas ("Nuvens da tarde", "Velut umbra") e ao sentimento pessimista ("Primeiros conselhos do outono") que serão vincados na obra posterior de Antero. A coletânea inclui vários poemas posteriormente recolhidos nos Sonetos Completos (como "Beatrice", "Amor vivo", "Mãe", "Jura", "Metempsicose", "Enquanto outros combatem", "A uma mulher", entre outros), revelando-se desde logo a preferência do autor por essa forma poética, em que foi, de facto, exímio.
Retrato de Antero de Quental, por Columbano Bordalo Pinheiro
O nome da obra de Antero de Quental, <i>primaveras Românticas</i>, alude ao ímpeto da criação literária
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Primaveras Românticas na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-11 09:23:04]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros