A Vila

Filme de suspense norte-americano escrito, produzido e realizado em 2004 por M. Night Shyamalan. Intitulado originalmente The Village, foi interpretado por Joaquin Phoenix, Bryce Dallas Howard, Adrien Brody, William Hurt, Sigourney Weaver, Brendan Gleeson e Michael Pitt, entre outros.
O filme passa-se em 1897 em Covington, uma pequena vila da Pensilvânia que alberga apenas 60 habitantes. A comunidade vive uma existência pacífica, mas assente num estranho pacto. Na floresta que envolve a povoação habitam terríveis criaturas e os habitantes de Covington fizeram um acordo com elas: desde que nunca saiam das suas fronteiras, poderão seguir com a sua vida pacificamente. Deverão ainda usar a cor amarela e nunca a vermelha. Um dia, o equilíbrio precário é colocado em causa quando um jovem determinado, Lucius Hunt (Joaquin Phoenix), decide descobrir o que existe na floresta proibida, invocando assim a ira das temidas criaturas. Os anciãos da vila tentam dissuadir Lucius da ideia de violar o acordo, mas ele parece não ter medo. Entretanto, Lucius apaixona-se por Ivy Walker (Bryce Dallas Howard), espoletando o ciúme de Noah Percy (Adrien Brody). O triângulo amoroso vai originar um acontecimento trágico, precipitando Ivy para desvendar o segredo por trás das horríveis criaturas de vermelho.
Depois de The Sixth Sense (O Sexto Sentido, 1999), Unbreakable (O Protegido, 2000) e Signs (Sinais, 2002), M. Night Shyamalan usa pela quarta vez o chamado twist final para conferir todo o alcance à sua obra e ao seu engenhoso argumento. Aquela que se tornara já a sua imagem de marca regressa aqui com uma importância redobrada, deixando os espectadores fascinados com esta espécie de jogo. Na verdade, são as revelações finais que lançam o filme para um patamar mais ambicioso, à semelhança do que acontecia nos seus filmes anteriores.
A Vila possui múltiplas leituras, entre as quais a de uma possível alegoria sobre o Jardim do Éden, um manifesto político sobre a (in)segurança ou um tratado filosófico sobre as consequências das ações do homem. Para além da sua dimensão simbólica, o filme destaca-se pela sua ambiência sugestiva, acentuada pela belíssima fotografia de Roger Deakins e pela banda sonora de James Newton Howard (nomeada para o Óscar). Refiram-se ainda as boas interpretações, com destaque para a estreia no cinema de Bryce Dallas Howard.
Como referenciar: A Vila in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-16 23:37:20]. Disponível na Internet: