Abu Simbel

Local, no Egito, onde foi escavado na rocha um templo colossal, por ordem do faraó Ramsés II. Com a construção da barragem de Assuão nos anos de 1960, o templo correu o risco de ficar submerso pelo Nilo. Com o patrocínio da UNESCO, teve lugar uma notável operação de salvamento do santuário, que foi cortado em grandes blocos (sem o emprego de serras elétricas, pois a vibração destas poderia danificar o monumento) e reconstruído a uma altitude superior.
O templo, impressionante pela sua dimensão, era dedicado ao deus solar, e em certas alturas do ano as primeiras luzes da manhã inundavam-no completamente. As pinturas do seu interior são também dignas de nota. A entrada é dominada por quatro estátuas de Ramsés II, de cerca de vinte metros de altura.
Existe também, em Abu Simbel, um segundo templo, mais pequeno, dedicado a Nefertari, a esposa do faraó, que também foi objeto de reconstrução na mesma altura. Os dois templos formam um dos mais impressionantes conjuntos monumentais do mundo antigo e fazem de Abu Simbel um dos locais do Egito mais interessantes para historiadores e turistas.
Os monumentos núbios de Abu Simbel e Philae constituem um conjunto classificado Património Mundial pela UNESCO.
Como referenciar: Abu Simbel in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-02-25 06:17:47]. Disponível na Internet: