Amor Crioulo: Vida Argentina

Último romance de Abel Botelho, deixado incompleto por morte do autor e publicado postumamente por João Grave, seu discípulo, em 1919, onde a conceção da intriga e das personagens se mostra finalmente liberta da perspetiva de análise patológica e pseudocientífica de cariz naturalista que marcou o grosso da produção do autor, desde o conjunto Patologia Social até aos romances fora deste ciclo, Sem Remédio e Os Lázaros. O protagonista, João Silveira, é um conspirador monárquico que se exila na Argentina, e o romance acompanha o seu percurso, desde a longa travessia do Atlântico até aos primeiros tempos no exílio. A maior limpidez da trama e do estilo, o tom autobiográfico (há semelhanças entre o percurso do protagonista e o do autor) e a ausência de teses científicas conferem à obra um estatuto único dentro do conjunto da ficção de Abel Botelho.
Como referenciar: Amor Crioulo: Vida Argentina in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-12 03:49:45]. Disponível na Internet: