António Cândido

Clérigo, orador e político, António Cândido Ribeiro da Costa nasceu a 30 de março de 1852 e morreu a 9 de novembro de 1922.
Doutorou-se em Direito e Teologia na Universidade de Coimbra e nela foi depois professor catedrático, nomeado em 1881.
Par do reino, procurador-geral da Coroa, parlamentar, sócio efetivo da Academia das Ciências de Lisboa e ministro da Instrução Pública, António Cândido foi considerado o maior orador do seu tempo, para o que certamente terá contribuído a sua formação eclesiástica.
O seu papel na cena pública do tempo foi diversificado. Como pensador político, assumiu-se como um conservador, descrendo das teorias do chamado socialismo utópico, avançadas por filósofos do social como Proudhon, e também do positivismo de Auguste Comte. Chamou a atenção para o perigo representado, para as nações sul-ocidentais da Europa, pelas ambições imperialistas da Alemanha e da Rússia. Por outro lado, defendeu a descentralização administrativa e um parlamentarismo de representação proporcional que não excluísse dos quadros da ação política as minorias.
Como referenciar: António Cândido in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-08 11:17:30]. Disponível na Internet: