António Sardinha

Poeta, doutrinador político nacionalista e historiador português, António Maria de Sousa Sardinha nasceu a 9 de setembro de 1887 (embora alguns registos apontem para 1888), em Monforte, no Alentejo, e faleceu a 10 de janeiro de 1925, em Elvas. Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, é autor de uma vasta obra ensaística de cariz doutrinário, mentora do integralismo lusitano, pensamento político em que se conjuga a defesa da monarquia, o nacionalismo e o catolicismo, e que teve como órgãos de divulgação publicações como A Monarquia (1917) e a Nação Portuguesa (1914), ambas co-fundadas pelo escritor. Tendo, após o fracasso da "Monarquia do Norte", vivido exilado em Espanha, entre 1919 e 1921, e sido deputado monárquico durante o consulado de Sidónio Pais, o seu pensamento radicalmente antirrepublicano e nacionalista viria a encontrar eco em alguns dos doutrinários do Estado Novo. A sua obra poética, inscrita na tradição, e fundindo vetores do saudosismo com traços temáticos comuns à ideologia integralista lusitana, tem uma das suas melhores realizações em A Epopeia da Planície, coletânea que parte da inspiração familiar para a exaltação, com uma interessante atenção ao concreto quotidiano e rural, do sangue da raça que se perpetua no sangue familiar, motivos que ressurgem em Chuva da Tarde e Era Uma Vez um Menino. É também autor de O Valor da Raça e do poema sobre a mística expansionista O Roubo da Europa, a que se seguiria a série de sonetos dedicados a figuras históricas e lendárias, a Pequena Casa Lusitana.
Como referenciar: António Sardinha in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-13 20:18:34]. Disponível na Internet: