Arlindo Barbeitos

Escritor e académico angolano, Arlindo do Carmo Pires Barbeitos nasceu em 1940, em Angola. Estudou em Luanda e em Lisboa. Depois de dez anos emigrado na Europa, regressou em 1971 a Angola, onde foi professor nas bases do MPLA da frente leste. Atingido por doença, voltou à Europa e, a partir de 1973, dedicou-se na Alemanha a um doutoramento em Etnologia, enquanto desempenhava funções de assistente no Instituto de Etnologia da Universidade de Berlim Ocidental. Em 1974, em Frankfurt, um editor alemão, amante da literatura africana, deu a conhecer a sua poesia. Em 1975, após a independência, Arlindo Barbeitos regressou à pátria, onde veio novamente a ser professor universitário.
Marcada pela História recente do povo angolano, a sua poesia é, para além de testemunho e meio de conhecimento de uma realidade concreta, um instrumento de libertação, pela densidade do verso e a força da palavra. Os seus motivos maiores de inspiração são a experiência do exílio, a situação colonial e a luta pela independência.
Na sua obra, destacam-se os títulos Angola, Angolê, Angolema (1977), Nzoji (1979) e O Rio: Estórias de Regresso (1985), que foi o seu primeiro romance.
Como referenciar: Arlindo Barbeitos in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-20 00:39:13]. Disponível na Internet: