Auto das Regateiras

O Auto das Regateiras é, como o conjunto das obras dramáticas de António Ribeiro Chiado, um documento etnográfico que vale sobretudo pela amostragem que faz da sociedade da sua época e da linguagem popular, na medida em que se baseia nos costumes da classe piscatória do Bairro de Alfama.
Contudo, ao contrário de todas as outras peças, este auto apresenta uma maior movimentação teatral e interesse, desenvolvendo uma ação consequente com um princípio e um desfecho que se concretiza numa boda de casamento, entre as gentes de Alfama.
A descrição das cerimónias populares, nomeadamente, segundo Alberto Pimentel in Obras do poeta Chiado, colligidas, annotadas e prefaciadas por Alberto Pimentel, Lisboa, 28 de março de 1889, "a comesaina e a musicata", permitem a reconstituição do ambiente da época no que concerne, entre outros aspetos, à ostentação destes casamentos. Restringindo-se a uma classe social - aquela a que pertencem as regateiras - este auto apresenta-nos o seu retrato moral e material.
O título temático da obra remete-nos de imediato para o assunto nela tratado e cuja intriga assenta na preparação e consumação de um casamento. Esta ação principal é intercalada com pequenos episódios: a aparição da figura do Parvo; a chamada de atenção da Velha (mãe) à sua filha Beatriz e à criada negra, Luzia, por causa da preguiça; a conversa das comadres sobre os seus males (a Comadre estava grávida de gémeos e a mãe estava velha); a crítica à baixa da moeda, etc., e com diversas considerações humorísticas como as que se referem aos médicos, "o doutor da mula ruça", de forma a tornar o quadro mais variado sem contudo prejudicar a sua unidade.
Esta festa nupcial vai permitir que Ribeiro Chiado aborde e desenvolva com um objetivo etnográfico e crítico uma variedade de temáticas, como o tratamento dos criados, a maledicência, a corrupção, o papel das casamenteiras, etc.
Como referenciar: Auto das Regateiras in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-19 15:07:50]. Disponível na Internet: