Bié

Província no Centro de Angola cuja capital é a cidade de Cuíto (ou Kuíto), com 88 000 habitantes (2004). Confinada pelas províncias angolanas de Malanje (a norte), Lunda Sul (a nordeste), Moxico (a este), Kwando Kuvango (a sul), Huíla (a sul), Huambo (a oeste) e Kwanza Sul (a noroeste), a província de Bié tem uma superfície de 70 314 km2 e uma população de 1 438 000 habitantes (em 2004).
A cidade de Cuíto (primitivamente designada Belmonte, depois Amarante e, em seguida, Silva Porto), está ligada a duas grandes figuras: uma, o explorador Francisco Ferreira da Silva, conhecido como Silva Porto ou Silva do Porto e fundador da localidade de Belmonte (designação por ele atribuída); a outra, o rei Ndunduma que, resistindo à colonização portuguesa, foi preso a 4 de dezembro de 1890 e deportado para Moçambique. Quanto aos edifícios públicos da cidade, na sua maioria do século XIX, eles foram totalmente destruídos durante a guerra (sobretudo em 1993/4 e 1998).
Fortemente marcada e destruída pela guerra, o governo provincial tenta não só recuperar as infraestruturas sociais e produtivas, como também captar investimentos nacionais e estrangeiros que permitam assegurar o desenvolvimento da região. Com enormes deficiências nos setores do ensino, da saúde, das energias e das infraestruturas rodoviárias e dadas as enormes dificuldades das pessoas (fome, desnutrição, nudez, desalojamento), foi lançado um alerta para a grande necessidade de ajudar as vítimas de Bié. Com o apoio do governo provincial e da ADPP (Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo), deu-se inicio a dois projetos de auxílio social. Em 1999, foi lançado o projeto Escola Professores do Futuro, cuja finalidade é treinar os estudantes para a prática do ensino em escolas rurais, e em 2001, foi lançado o Projeto Venda de Roupa, que tem como objetivo fornecer à população roupa e sapatos a preços acessíveis.
Quanto à agricultura, Bié é uma província produtora sobretudo de citrinos, arroz, feijão, milho, sisal, banana, café, batata-doce, massambala. No entanto, esta atividade está praticamente suspensa pelo facto dos campos agrícolas estarem minados (em 2004, estavam identificados 378 campos minados). Relativamente às riquezas naturais, destaca-se o alcatrão, ferro, manganésio, diamantes e minerais radioativos. A bacia hidrográfica da província de Bié, onde nascem alguns dos principais rios de Angola, é a mais rica do país.
Como referenciar: Bié in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-21 23:56:52]. Disponível na Internet: