Bogotá


Aspetos Geográficos
Cidade e capital da Colômbia, Bogotá situa-se no altiplano da Cordilheira Oriental dos Andes, a 2640 metros de altitude, assentando num território que correspondeu no passado a um lago. Está delimitada por um sistema montanhoso em que se destacam os picos de Monserrate e Guadalupe, a oriente da cidade, ambos com mais de 3100 metros. O seu maior rio é o Bogotá, que apresenta altos níveis de poluição. Está implantada numa área de assinalável atividade sísmica. Possui mais de seis milhões de habitantes, mas atinge os 7 880 000 (2005) quando se considera a sua área metropolitana, formada por vinte localidades.

História e Monumentos Originalmente chamada Bacatá pelos indígenas Muiscas, foi o centro desta civilização antes da colonização operada pelos espanhóis. A fundação de facto da cidade, com o nome de Santa Fé, ocorreu a 6 de agosto de 1538 pelo espanhol Gonzalo Jiménez de Quesada. Até 1550 foi a sede do Novo Reino de Granada. No século XVIII foi, juntamente com Cartagena das Índias, a mais importante cidade do território que corresponde atualmente à Colômbia. No século seguinte chegou a ser apelidada por Humboldt, que a visitou entre 1800 e 1804, de "Atenas da América", graças às suas importantes instituições científicas e culturais. Foi também o palco de lutas independentistas entre 1810 e 1819, ano em que se tornou a capital da poderosa república da Grande Colômbia (que abrangia os atuais Equador, Colômbia, Venezuela e Panamá), liderada pelo libertador Simón Bolívar. No início do século XX registou um assinalável desenvolvimento, até ao assassínio do líder colombiano Jorge Eliécer Gaitán em 1948, acontecimento que ficou conhecido como "Bogotazo" e que afetou negativa e decisivamente a cidade. A ditadura militar dos anos 50 contribui novamente para um grande desenvolvimento das infraestruturas da cidade. No ano 2000 o nome da cidade mudou definitivamente de Santa Fé de Bogotá para apenas Bogotá. Entre os seus muitos monumentos, destacam-se: o Capitólio Nacional, o Observatório Astronómico, o Palácio Cardinalício, o Palácio de La Merced, o Palácio Echeverri e ainda o Teatro de Cristóbal Colón.

Aspetos Turísticos e Curiosidades
A cidade possui diversos parques, muitos deles promovendo concertos e teatro ao ar livre, como por exemplo o Parque Simón Bolívar ou o Parque Nacional. Para além destes, existem ainda diversos parques mais orientados para o divertimento, assim como museus vocacionados para a interatividade e o lado lúdico. É também uma cidade muito ativa culturalmente, organizando o maior festival de teatro do mundo (o Festival de Teatro Ibero-americano) e uma das maiores feiras do livro da América do Sul. Possui cerca de 40 museus, 12 bibliotecas e mais de 30 igrejas com tesouros coloniais e republicanos.

Economia
Apesar do seu elevado nível de desemprego e de subemprego, a cidade contribui em grande parte para a produtividade nacional. As principais fontes de rendimento da cidade são a indústria manufatureira, os serviços imobiliários, os serviços financeiros e a administração pública. É também um ponto estratégico em termos logísticos, uma vez que faz chegar rapidamente a maior parte das mercadorias a outros pontos do país. As suas principais indústrias são os alimentos, bebidas, químicas e farmacêutica e têxtil. É também sede de muitas companhias multinacionais e pioneira na construção de centros comerciais.
Como referenciar: Bogotá in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-22 04:35:18]. Disponível na Internet: