Bombarral

Aspetos Geográficos
O concelho do Bombarral, do distrito de Leiria, localiza-se na Região do Centro (NUT II) e no Oeste (NUT III). Situado nas proximidades das serras dos Candeeiros e de Montejunto, é limitado pelos seguintes concelhos: a norte pelo de Óbidos, a sul e a este pelo de Cadaval (distrito de Lisboa), a nordeste pelo de Caldas da Rainha e a oeste pelo da Lourinhã (distrito de Lisboa).
No total abrange uma área de 91,7 km2 e é constituído por cinco freguesias: Bombarral, Carvalhal, Roliça, Vale Covo e Pó.
Em 2005, o concelho apresentava 13 630 habitantes.
O natural ou habitante de Bombarral denomina-se bombarralense.
História e Monumentos
O concelho apresenta vestígios da Pré-História, como é comprovado pelos achados valiosos encontrados numa gruta do Paleolítico. Nele estão localizadas as grutas da Lapa do Suão e das Pulgas e os Castros de S. Mamede e de Carvalhal.
Os documentos mais antigos sobre o Bombarral datam de 1254. O concelho surgiu em 1914.
Em 1153, D. Afonso Henriques doou o Bombarral aos Monges de Cister, que introduziram no território novas técnicas e métodos de agricultura. No século XIII Bombarral ainda pertencia aos Coutos do Mosteiro de Alcobaça.
Facto importante na vila foi a batalha da Roliça, travada com os franceses.
Do seu património arquitetónico são de destacar os palácios Gorjão, dos Coimbras e da Família Cunha Coimbra; o Teatro Eduardo Brazão; o Museu Municipal; a Capela de S. Brás; a capela do Carvalhal; a Igreja do Santíssimo Sacramento; a Ermida de N. Sra. do Socorro; a Torre do Carvalhal, dos Lafetás e dos Lajeitas; a Casa Alpendrada; o Santuário do Bom Jesus do Carvalhal; o Solar dos Melos e Castros, a Ponte do Pó; a Estação Arqueológica da Columbeira; e a Torre Medieval, doada por D. Dinis a um fidalgo aragonês, entre muitos outros.
Tradições, Lendas e Curiosidades
Todos os anos se realizam as festas de S. Mamede (terceiro fim de semana de julho); as festas ao Senhor Jesus (segundo fim de semana de setembro), no Carvalhal; as festas de S. João; e as Luminárias de S. José (a 19 de março), no Carvalhal, todas elas de cariz religioso; no último domingo de julho, tem lugar o Festival do Vinho Nacional; em meados de agosto decorre a feira nacional de pera rocha; em setembro/outubro realiza-se o Festival de Música; a partir de finais de maio, e sempre a coincidir com o dia 1 de junho, o dia mundial da criança, tem lugar a Feira Infantil, só em anos ímpares; a 29 de junho surgem as Tasquinhas do Sobral do Parelhão.
O dia de Todos os Santos e os festejos de S. Pedro, padroeiro da vila, são muito importantes para o concelho.
O feriado municipal decorre a 29 de junho.
A nível de artesanato sobressaem os trabalhos em vime, ferro e outros metais, e miniaturas em madeira.
Economia
O principal setor de atividade é o primário, que ainda se reveste de grande importância no concelho, em virtude da sua ruralidade, destacando-se as hortas de tomate, alface, etc.; e a produção de bacelo, pera rocha e maçã golden.
As principais indústrias são a metalomecânica, o mobiliário de cozinha e o fabrico de pirotecnia.
O setor terciário está relacionado com a prestação de serviços (banca) e o turismo cultural, patrimonial e paisagístico.
Como referenciar: Bombarral in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-12-02 06:39:46]. Disponível na Internet: