British Airways

A companhia aérea britânica British Airways foi fundada em 1974, resultado da fusão da empresa estatal British Overseas Airways Corporation com a British European Airways, decidida dois anos antes pelo governo britânico. Contudo, já na década de 30 tinha existido uma outra British Airways, entretanto extinta.
A nova companhia começou por utilizar os aparelhos das duas empresas que a formaram, nomeadamente Tridents, BAC111-500s, Viscounts e Vanguards. Alguns destes últimos foram adaptados para aviões de carga.
Em 1976, a British Airways, a par da Air France, de França, foi uma das companhias a operar com o avião supersónico Concorde, que chegou a fazer um serviço diário entre Londres e Nova Iorque, nos Estados Unidos da América. Na fase inicial destes voos houve um retrocesso originado pelas recusas de aeroportos norte-americanos em receber o Concorde. Assim, em alternativa, a British Airways passou a voar com o avião supersónico para o Bahrein, enquanto negociava com as autoridades norte-americanas.
O serviço foi encerrado a 24 de outubro de 2003 devido à escassez de passageiros e ao elevado custo de manutenção. Consequências da queda de um Concorde da Air France em Paris, em agosto de 2000, que abalou a confiança dos passageiros.
Em 1980 a British Airways teve ao dispor o seu primeiro avião a jato, um Boeing 737-200, tal como os restantes para servir voos de curta distância.
Entretanto, no início da década de 80 a empresa atravessou sérias dificuldades financeiras, que culminaram com o processo de privatização de 1987. Ainda nesse ano a British Airways comprou a Air Caledonian - que passou a nomear-se Caledonian Airways -, o que levou a que passasse também a dispor de aparelhos Airbus na sua frota.
Já em 1998, a British Airways decidiu criar uma companhia destinada a fazer voos mais baratos para os passageiros e criou a GO, que entretanto se viria a fundir com a Easyjet em 2001.
Após os atentados nos Estados Unidos da América a 11 de setembro de 2001, a aviação comercial atravessou uma grave crise financeira, à qual a British Airways não escapou. Contudo, a empresa britânica conseguiu sobreviver e pouco depois voltou a registar lucros.
No início do século XXI a British Airways transportava em média cerca de 40 milhões de passageiros por ano, nos seus mais de 230 aviões. Atualmente, para além de ser a maior operador do Reino Unido, a British Airways é também a maior companhia aérea da Europa. Tem voos regulares para toda a Europa, América do Norte, América do Sul, Caraíbas, África, Médio oriente, Ásia Oriental, sudeste asiático e Austrália, num total de 160 destinos.
Como referenciar: Porto Editora – British Airways na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-29 15:53:59]. Disponível em