Canal de Suez

Situa-se entre os mares Mediterrâneo (Port Said) e Vermelho. O canal tem mais de 193 km de extensão (dados de 2015, contando com todas as radas), 205 a 225 metros de largura (a 11 metros de profundidade) e 24 metros de profundidade. Divide o Egito africano e a Península do Sinai, que lhe pertence. Esta notável obra de engenharia faz parte de importantes rotas do comércio mundial.

Em 1848 instituiu-se uma sociedade internacional para construir este canal, embora a preponderância fosse claramente francesa. De facto, o engenheiro-chefe das operações de construção era um francês, Ferdinand de Lesseps. As obras começaram em 1859, tendo sido inaugurado a 17 de novembro de 1869 por Eugénia do Montijo, esposa de Napoleão III, rei de França.

Em 1956 foi nacionalizado pelo Egito, causando uma onda de protestos a nível internacional. Em junho de 1967, o canal foi ocupado por Israel na sequência dos conflitos israelo-árabes, tendo mesmo sido encerrado. Reocupado pelo Egito em 1974, com a retirada de Israel da região do Sinai, foi reaberto.

Este canal poupa à navegação entre o Índico e o Atlântico os cerca de 9000 km para travessia do cabo da Boa Esperança, na África do Sul, rota que, no entanto, é ainda preferida pelos petroleiros oriundos do Golfo que, por uma questão de segurança, a preferem ao Suez.

Como referenciar: Porto Editora – Canal de Suez na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-16 20:25:27]. Disponível em