Cuanza Norte

Província a noroeste de Angola, cuja capital é a cidade de N'Dalatando. Por vezes, encontra-se sob a forma ortográfica Kwanza Norte. Confinada pelas províncias de Uíge (a norte), Cuanza Sul (a sul), Malanje (a este) e Bengo (a oeste), a província de Cuanza Norte tem uma superfície de 24 110 km2 e uma população estimada em 418 000 habitantes (2004), estando a sua maioria concentrada na capital provinciana

.

Cuanza Norte, que terá sido batizada com o nome de Salazar, durante a época colonial, ficou marcada pela guerra, sobretudo depois das eleições de 1992, e pela passagem dos savimbistas pela região, tendo sofrido, por consequência, a pilhagem e a destruição dos edifícios públicos e dos bens da população local

.

Com o estabelecimento da paz, em Angola, a província tem procurado não só atrair investimentos nacionais e internacionais, como também mostrar as potencialidade da região com o objetivo de recuperar e de relançar a economia da província

.

Assim, destaca-se, na área da educação, o projeto entre o Instituto Politécnico de Leiria e o governo provincial de Cuanza Norte, estabelecido em fevereiro de 2003, e que visa, por um lado, criar institutos de ensino superior, como a futura Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG), na província angolana, e por outro lado, contribuir para a formação de conhecimentos e de desenvolvimentos técnicos

.

Para além disso, o Instituto Politécnico de Leiria pretende também promover a investigação científica e proporcionar a mobilidade de professores e alunos, enquanto o governo provincial angolano tem procurado captar investimentos e financiamentos dos empresários leirienses para a província de Cuanza Norte

.

De salientar ainda, na área da educação, o projeto de formação de jovens - Escola Professores do Futuro, a funcionar desde 1998, que consiste em integrar os futuros professores, na vida profissional, através de estágios realizados em escolas rurais, e que tem o apoio do governo provincial e da ADPP (Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo

).

A Província de Cuanza Norte, rica no domínio da agricultura, centra a sua produção em milho, amendoim, café, algodão, ervilha, feijão, citrinos, mandioca, sisal, dendê, massambala. No setor industrial, salienta-se a sua produtividade nos setores de têxteis, calçado, couro, tabaco, bebidas e produtos alimentares. A nível piscatório, é capturado artesanalmente, no rio Cuanza, o peixe que a região consome. Ainda por explorar e com fortes potencialidades comerciais estão várias matérias-primas, como o mármore rosa, o manganésio, o ferro, o ouro, a madeira, a pecuária e a água mineral, oriunda da fonte de águas de Santa Isabel

.

A província do Cuanza Norte apresenta várias belezas naturais, que constituem potencialidades turísticas e que aguardam, no entanto, projetos de reabilitação e de promoção. Destaca-se, em Cazengo, o horto botânico de Quilombo, as quedas do rio Muembege e as águas de Santa Isabel

.

Em Golungo Alto, encontra-se as ruínas da Igreja de Santo Hilário, as cascatas de Mazalala e a praia de Kiamafulo junto ao rio Cuanza. De referir ainda os trabalhos artesanais, em terracota, que representam a fauna local ou atividades do quotidiano

. &

nbsp

;
Como referenciar: Cuanza Norte in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-02-27 09:18:57]. Disponível na Internet: