Engelbert Dollfüss

Engelbert Dollfuss, chanceler austríaco entre 1932 e 1934, nasceu em Kirnberg, na Áustria. Em 1920 era líder do Partido Cristão Socialista austríaco; em 1932 aliou-se à Heimwehr (Guarda Civil), grupo fascista austríaco apoiado pelo ditador fascista italiano Benito Mussolini; em 1933, influenciado pela ascensão de Hitler na Alemanha, Dollfuss dissolveu o Parlamento, aboliu as liberdades fundamentais, ilegalizou o Partido Comunista e o Schutzbund (braço armado do Partido Social-Democrata). Em junho desse mesmo ano ilegalizou também o Partido Nazi austríaco, que pressionava a opinião pública para aceitar a união da Áustria com a Alemanha. Em fevereiro de 1934 registam-se violentos protestos dos trabalhadores de Viena contra os assaltos da Heimwehr (que Dollfuss continuava a utilizar) a centros operários e jornais; na sequência destes acontecimentos, o Partido Social-Democrata decretou uma greve geral que conduziu a uma verdadeira guerra civil; após vários dias de luta, e sempre com a atuação decisiva da Guarda Civil, a greve é interrompida. Depois disto, Dollfuss dissolveu todos os partidos políticos, com exceção do seu próprio, a Vaterlandische Front (Frente Nacional), e convocou um Parlamento que votou uma Constituição que instituía um Estado Federal Cristão Germânico em bases corporativas. Engelbert Dollfuss foi assassinado numa tentativa frustrada de golpe nazi em 25 de julho de 1934.
Como referenciar: Engelbert Dollfüss in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-13 21:30:55]. Disponível na Internet: