Eugénio Salvador

Ator, bailarino, dramaturgo e encenador português, de nome completo Eugénio Salvador Marques da Silva, nascido a 31 de março de 1908, em Lisboa, e falecido na mesma cidade em 1992. Foi futebolista do Sport Lisboa e Benfica, tendo alinhado nas camadas jovens e nas reservas do clube. Optou depois por seguir a carreira de ator, tendo completado o curso do Conservatório. Estreou-se profissionalmente em 1928 na revista Grão de Bico. Daí para a frente, tornou-se uma das figuras maiores do teatro português, tendo protagonizado perto duma centena de peças, na sua grande maioria do género revisteiro no Teatro Maria Vitória e no Variedades. Das mais célebres, salientam-se Pernas à Vela (1958) e Abaixo as Saias (1959). Também se destacou como empresário teatral, tendo feito parceria com Rui Martins na gestão do Maria Vitória. Trabalhou amiudamente em cinema, tendo-se estreado em Lisboa, Crónica Anedótica (1930), de Leitão de Barros, a que se seguiram prestações em Maria Papoila (1937), também de Leitão de Barros, Fado, História Duma Cantadeira (1948) e Sonhar É Fácil (1951), ambos de Perdigão Queiroga, Eram Duzentos Irmãos (1952), de Constantino Esteves e A Maluquinha de Arroios (1970), de Henrique Campos. Permaneceu ativo no teatro de revista até 1988, ano em que se retirou definitivamente. As suas últimas aparições artísticas foram feitas no programa televisivo Herman Circus (1990) e no filme Aqui D'El-Rei (1992), de António Pedro Vasconcelos.
Como referenciar: Eugénio Salvador in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-26 21:15:01]. Disponível na Internet: