Friedrich Achleitner

Arquiteto e escritor austríaco, Friedrich Achleitner nasceu a 23 de maio de 1930, em Schalchen. A sua infância ficou marcada pelo furor da ascensão do Nacional-Socialismo, e pela tragédia da Segunda Guerra Mundial. Após ter assistido à destruição da casa familiar em resultado de um bombardeio, decidiu tornar-se arquiteto, na esperança de poder contribuir para o esforço de reconstrução do país.
Assim sendo, no ano de 1950, depois de ter concluído o ensino secundário, ingressou na Faculdade de Clemens Holzmeister da Academia de Belas-Artes de Viena. Conseguindo o seu diploma em 1953, matriculou-se no curso de Artes Decorativas da Faculdade de Emil Pirchan da mesma universidade, que concluiu com sucesso em 1955. Participou entretanto em trabalhos de importância, nomeadamente na modernização da Igreja Rosenkrantz, na cidade de Viena.
O ano de 1955 ficou também marcado pela sua introdução numa tertúlia literária, que contava com nomes como Konrad Bayer, Gerhard Rühm e Oswald Wiener, e que viria mais tarde a ser conhecida como o Wiener Gruppe. Entusiasmando-se com a poesia, tomou a resolução de abandonar o exercício da Arquitetura para se tornar escritor independente. Publicou o seu primeiro livro em 1959, uma compilação de poesia, que o autor qualificava como "dialética", intitulada hosn rosn baa, ao qual se seguiu, quase imediatamente, schwer schwarz (1960), desta feita denominada poesia "concreta".
Em 1961 descobriu que era possível aliar ambas as suas vocações, pelo que se tornou crítico de Arquitetura, primeiro ao serviço do periódico Abendzeitung, logo junto do Presse. A originalidade do conceito levou-o a não querer desperdiçar a sua nova direção, e começou portanto a laborar na feitura da sua obra-prima, Führer zur Österreichischen Architektur im 20. Jahrhundert, que só começaria a ser publicada a partir de 1980.
Rapidamente considerado como o maior impulsionador da Arquitetura austríaca do século passado, Friedrich Achleitner dedicou a maior parte da sua obra ao tema, recomendando amíude direções para a edificação de uma nova Viena. Para além dos inúmeros artigos publicados em jornais e revistas da especialidade, destacam-se Wilhelm Holzbauer, Bauten und Projekte (1995), Heinz Tesar (1995), Region, ein Konstrukt? Regionalismus, eine Pleite? (1997) e Alvar Aalto, Towards a Human Modernism (1999).
Friedrich Achleitner foi honrado com vários galardões, tais como o Prémio do Estado Austríaco para a Divulgação Cultural em 1984, e o Prémio do Museu de Arquitetura da Cidade de Basileia em 1999.
Como referenciar: Friedrich Achleitner in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-25 07:35:52]. Disponível na Internet: