Georg Henrik von Wright

Filósofo finlandês nascido a 14 de junho de 1916, em Helsínquia, e falecido a 16 de julho de 2003, na mesma cidade. Oriundo de uma família de raízes escocesas, era descendente de George Wright, que tinha fugido do golpe de estado de Cromwell, acabando por se estabelecer em território finlandês, e dos três irmãos Ferdinand, Wilhelm e Magnus von Wright que, no século XVIII, demonstraram ser pintores naturalistas de invulgar talento. Filho de um diretor de uma empresa, teve a possibilidade de colmatar o seu débil estado de saúde na infância.
Sofrendo de asma, constipações constantes e desmaios em público, que por inúmeras vezes o obrigaram a interromper a escola, o jovem Georg foi enviado, aos doze anos de idade, para um sanatório no Norte de Itália, em Merano, durante um ano inteiro. Familiarizou-se em Itália com a Geometria, tendo ficado fascinado com o p, a razão constante entre o perímetro do círculo e o comprimento do seu diâmetro, não totalmente exprimível por números.
Em 1929, com apenas treze anos, na época natalícia, o pai de Georg ter-lhe-á explicado o que era a Filosofia, marcando assim a sua vocação. Ingressando na Universidade de Helsínquia em 1934, teria sido ajudado pelo facto de Eino Kaila, aí professor de Filosofia e Psicologia, ser seu parente. Tendo encontrado alimento espiritual nos trabalhos de Wittgenstein, e pela sua graduação, em 1937, assumia-se como empirista lógico. Nesse mesmo ano, von Wright deu azo ao seu humanismo com uma viagem à Áustria e à Itália onde, junto a um templo grego, fez três promessas solenes, que o tempo não conseguiu redimir na totalidade: não beber álcool com exceção do vinho, nunca ler jornais e fazer os possíveis para se tornar grego. Era desejo de Von Wright prosseguir os seus estudos em Viena, mas com a ocupação alemã e a destruição do Círculo de Viena, optou por Cambridge. Ficou surpreendido ao saber que Wittgenstein residia em Cambridge e efetuou-se um contacto entre ambos.
Durante a Guerra do inverno, quando as tropas soviéticas invadiram a Finlândia, entre 1939 e 1940, von Wright ficou isento do serviço militar, o que não o impediu de colaborar numa organização voluntária de propaganda. A 31 de maio de 1941, numa altura em que a vitória finlandesa sobre os russos valeu ao país grande consideração a nível mundial, von Wright publicou a sua tese de doutoramento The Logical Problem of Induction, tendo também, no mesmo dia, contraído matrimónio com a sua noiva, Maria Elizabeth von Troil, também ela licenciada e filha de um barão e banqueiro.
Durante a Guerra da Continuação, em que o povo finlandês lutava, não só de novo contra a invasão soviética, como contra as tropas alemãs estacionadas no seu território, von Wright trabalhou no Valtion Tiedotuslaitos, o centro governamental de informação. Foi nomeado docente de Filosofia na Universidade de Helsínquia em 1943 e professor catedrático em 1946, cargo que viria a desempenhar até se reformar em 1961, por ocasião da sua eleição para a Academia da Finlândia.
Em 1848, von Wright foi convidado para suceder a Wittgenstein como professor catedrático de Filosofia em Cambridge, tendo ocupado a função por três anos, durante os quais se dedicou à criação da lógica deôntica. Após a morte de Wittgenstein, em 1951, von Wright decidiu regressar ao seu país natal. Passou grande parte da década de 60 nos Estados Unidos, tendo sido professor visitante na Universidade de Cornell entre 1965 e 1977. Em 1963 publicou três obras de envergadura, The Varieties of Goodness, Norm and Action e The Logic of Preference, tendo começado a interessar-se pela Cibernética e pela Ciência Comportamental Matemática. Foi chanceler da Åbo Akademi, a conceituada academia de expressão sueca na Finlândia, entre 1969 e 1977. Recebeu, em 1986, o prémio Alexander von Humboldt e o grande prémio da Real Academia Sueca e, em 1993, o prémio literário Selma Lagerlöf, entre muitos outros. Lecionou também em muitas outras universidades, como sendo a de Leipzig, de 1994 a 1995.
Von Wright foi nomeado testamenteiro da propriedade intelectual de Wittgenstein, sobre a qual escreveu numerosos artigos.
Como referenciar: Georg Henrik von Wright in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-12 03:39:00]. Disponível na Internet: